LocalSlider

Requalificação da Barrinha de Esmoriz quase a arrancar

A requalificação da Barrinha de Esmoriz arranca esta sexta-feira, o que o presidente da Câmara Municipal de Ovar encara com “emoção”, por envolver uma obra aguardada há décadas e “estratégica” para a promoção do território.

Salvador Malheiro diz que “é uma enorme satisfação ver concretizado este sonho ao fim de uma dura batalha jurídica, ambiental e política que durou décadas”.

A intervenção será coordenada pela sociedade Polis Litoral Ria de Aveiro, que, em comunicado, admitiu que este é “o culimar de um longo processo”, pelo qual ficou responsável apenas em 2008, ao assumir “a elaboração de vários estudos e uma avaliação de impacte ambiental”.

Salvador Malheiro reconheceu que foram muitos os avanços e recuos, mas realçou que as autarquias da região não negligenciaram o projecto ao longo dos anos. “A redução das fontes poluidoras em todas as linhas de água que desaguam na barrinha” foi “uma realidade no passado recente, graças aos investimentos em salubridade pública e redes de águas residuais efectuados pelos municípios de Ovar, Espinho e Santa Maria da Feira”, explicou.

Segundo o autarca vareiro, “esta intervenção é estratégica também por isso: porque, de forma natural, vem ligar a Região Centro [em que se insere o concelho de Ovar] à Região Norte [que integra o de Espinho e a Lagoa de Paramos] e marca assim, pela positiva, um novo paradigma de gestão autárquica, estabelecendo pontes entre comunidades vizinhas”.

Para Salvador Malheiro, essa perspectiva integrada justifica, aliás, que estejam “reunidas todas as condições para que a intervenção seja um verdadeiro sucesso, potenciando uma riqueza natural da região e promovendo localmente o sector do Turismo de Natureza”.

A requalificação da Barrinha de Esmoriz envolve um investimento que ronda os 3,38 milhões de euros e é comparticipado em 85% pelo Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, sendo que os restantes 15% cabem à Polis Litoral Ria de Aveiro, através dos municípios de Ovar e Espinho.

O objectivo da intervenção é preservar os habitats contíguos da Barrinha de Esmoriz, no concelho de Ovar, e da Lagoa de Paramos, em Espinho, procedendo a trabalhos de dragagem, consolidação dunar, reabilitação das estruturas de defesa costeira e requalificação de margens.

Com data de conclusão prevista para 13 de junho de 2017, a obra abrange também a construção de um pequeno cais flutuante, três pontes sobre a barrinha e seus afluentes, áreas de estacionamento, postos de observação de aves e percursos pedonais e cicláveis, complementados com mobiliário urbano.

Com isso, a Polis Litoral pretende “sensibilizar a população para os valores naturais e patrimoniais presentes no local”, estimulando a preservação de uma área que há muito está classificada pela União Europeia como parte integrante da Rede Natura 2000.

Para o arranque da obra, na sexta-feira, é esperada a presença do ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes.

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta