PolíticaSlider

Apoios “azedam” convivência entre Câmara e UFO

Bruno Oliveira e Salvador Malheiro trocam argumentos

[themoneytizer id=”16574-1″]

 

O presidente da União das Freguesias de Ovar, São João, Arada e São Vicente de Pereira (UFO) acusa o presidente da Câmara Municipal de Ovar de faltar ao prometido no “apoio extraordinário de capital”.

Em intervenção na última sessão da Assembleia Municipal de Ovar, Bruno Oliveira manifestou desalento porque, segundo ele, “já tinha havido uma conversa” entre ambos aquando da negociação do acordo de execução.

Nessa altura, o autarca eleito pelo PS, diz que já tinha concordado com um “ligeiríssimo aumento do valor a transferir para a UFO”. Segundo o presidente da UFO, “a proposta foi considerada justa e adequada pelo senhor presidente da Câmara, apesar de implicar uma diferenciação para baixo do valor a atribuir a cada uma das quatro freguesias que compõem a União das Freguesias quando comparado com as restantes freguesias do concelho”.

Bruno Oliveira comprometia-se ainda a investir a parte restante em cada uma das quatro freguesias da União das Freguesias, de modo a atingir os mesmos 50.000 Euros de cada uma das outras freguesias do concelho, “implicando um enorme esforço financeiro em despesa de capital por parte da UFO em áreas como rodovias, passeios, entre outras, áreas que não são competências das Juntas de Freguesia mas sim das Câmaras Municipais”.

Salvador Malheiro confirma que houve negociação, porque a “Câmara Municipal de Ovar deve ser, no país, das que mais transfere para as juntas de freguesias”. Nessa linha e como forma de “reconhecer o trabalho dos autarcas que estão mais perto das pessoas e que dão o corpo às balas”, explica que o executivo ovarense decidiu conceder um apoio extraordinário para investimento de 50 mil euros às freguesias”. Sabia ele que a UFO “não concordava com a distribuição das verbas”, mas argumenta que “este apoio faz mais sentido para as freguesias mais pequenas, que são as que têm mais dificuldade e menor folga orçamental”. Segundo ele, “estas não beneficiam do efeito escala” que São Vicente de Pereira beneficia por integrar a UFO.

“Mas fomos sensíveis ao pedido da União e aumentamos em 50% o apoio, para 75 mil Euros”. “Embora não tenhamos chegado onde a UFO queria, demos um sinal importante no sentido de atender a sua pretensão”, argumenta Salvador Malheiro que não gostou de ouvir Bruno Oliveira dizer que, sendo assim, “não ia levantar o dinheiro”. “Não sei como pode dizer uma coisa dessas com tantos problemas dos fregueses para resolver”, atira.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta