CulturaSlider

Arte ovarense dá vida à paixão de Pedro por Inês

Viagem Medieval, em Santa Maria da Feira, arrancou com participação vareira

 

A edição de 2018 da Viagem Medieval, em Santa Maria da Feira, arrancou com participação vareira entre as 140 encenações diárias de 67 espectáculos diferentes, incluindo aquele que contará como Inês de Castro foi coroada rainha depois de morta.

Até ao próximo dia 12, sempre às 21h30, com encenação de Manuel Ramos Costa (Contacto) e coreografia de Gabriela Frutuosa (Bailarinos e Sonhos de Violeta), pode assistir ao espectáculo “Amor até ao infinito”. A coreógrafa valeguense diz que é uma “honra poder integrar este evento”. A ACAL – Associação Cultural e Artística da Lourocoop, contratada pela Feira Viva – Cultura e Desporto, EM,  conhecedora do seu trabalho, convida-a para este trabalho, o que a deixa “muito orgulhosa”.

Esta é uma produção que envolve cerca de 100 figurantes, que inclui elementos das escola de samba Costa de Prata, Charanguinha, All About Dance, entre outros, que no palco natural do prado ribeirinho, dão vida a vários episódios de um reinado marcado “pela sede de justiça e de vingança de D. Pedro, cujo coração estava desfeito pela morte da sua amada”.

Gabriela explica que a organização é muito rigorosa mas permitiu-lhe convidar algumas pessoas para este espectáculo, que, assim, “estão em nome individual e não em representação de grupos ou associações”.

“A paixão de D. Pedro por Inês era tanta que ele perseguiu os seus assassinos e os matou, arrancando-lhes os corações”, contou o director-geral da Viagem, Paulo Sérgio Pais.

“Depois mandou desenterrar Inês, coroou-a rainha mesmo como cadáver e obrigou os nobres da corte a beijarem-lhe a mão em sinal de respeito”, revelou.

Como protagonista do período histórico retratado na Viagem deste ano, D. Pedro inspira ainda outros espectáculos que procurarão sempre dar a conhecer as suas três principais facetas: a de apaixonado, a de cruel e também a de boémio.

A Viagem Medieval em Terra de Santa Maria reforçou duas áreas de espectáculo estruturantes do recinto com novas bancadas destinadas ao público. No Terreiro das Guimbras, palco natural nas margens do rio Cáster onde acontece “Amor até ao Infinto”, de acesso gratuito, foi instalada uma bancada de 500 novos lugares sentados para reforço da conforto e da visibilidade.

A 22.ª Viagem Medieval é uma organização da Câmara Municipal da Feira, da empresa municipal Feira Viva e da Federação das Colectividades de Cultura e Recreio do concelho, e este ano é dedicada ao reinado de D. Pedro I.

Com entrada paga a diferentes preços e em várias modalidades, o evento ocupa uma área de 33 hectares no centro da cidade e envolve o trabalho diário de mais de 2.000 pessoas, entre as quais 350 voluntários e 242 artesãos, mercadores e regatões.

Ao longo dos 12 dias da edição de 2018 estão previstas 1692 exibições de espetáculos-âncora, produções de grande formato e animação circulante, o que deverá atrair ao recinto 700.000 visitantes e justifica que o investimento de 1,3 milhões de euros seja já “100% autossustentável”. (Paulo Sérgio Pais, director-geral da Viagem Medieval, na RTP)

*Notícia actualizada com declarações de Gabriela Frutuosa, às 20h10.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta