Saúde

Asma não controlada custa mais de 1.400 Euros por doente ao Estado

 

O custo anual para o Estado português por criança com asma é de 929€ e de 708€ por adulto, valores que aumentam para o dobro quando falamos de doentes com a asma não controlada. No âmbito do Dia Mundial da Asma, que se assinalou a 1 de maio, a campanha Vencer a Asma quer sensibilizar para a importância da redução do número de casos subdiagnosticados de asma em Portugal.

De acordo com Rui Costa, coordenador do Grupo de Trabalho de Problemas Respiratórios da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, “a asma é uma doença subdiagnosticada e subtratada em Portugal. Cada 9 em 10 doentes com asma não controlada tem uma percepção inadequada do estado de controlo da sua doença, pois apesar de não estarem controlados acham que têm a sua asma controlada, o que pode dificultar a procura de melhor tratamento e controlo”.

Assim que sente um alívio dos sintomas, o doente asmático abandona a medicação. Estudos recentes indicam que ao longo de um ano, os doentes cumprem com apenas cerca de três meses de tratamento.

“Uma das consequências da não adesão ao tratamento e do mau controlo da asma são as agudizações graves com necessidade de internamento. As pessoas acabam por recorrer ao médico apenas quando estão numa situação de crise, ou seja, quando estão com falta de ar, tosse, sensação de aperto no peito, entre outros sinais que limitam significativamente a qualidade de vida”, conclui Rui Costa.

A Asma é uma doença crónica que está sempre presente. Um ataque de asma, ou agudização, corresponde a um agravamento súbito dos sintomas e pode ser imprevisível. O cansaço, a tosse, as noites mal dormidas não têm apenas impacto nas limitações do dia a dia, mas são um factor de risco para crises de asma futuras e um maior número de visitas às urgências e hospitalizações. Em Portugal, há cerca de um milhão de asmáticos. Da população com asma activa, 4 em cada 10 asmáticos não tem a asma controlada.

A campanha “Vencer a Asma” é uma iniciativa conjunta da Associação Portuguesa de Asmáticos, Fundação Portuguesa do Pulmão, Grupo de Estudos Respiratórios da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica e Associação Nacional de Farmácias e GSK.

Mais informação em: www.venceraasma.com

Artigos relacionados

Deixe uma resposta