Política

BE apresenta proposta para empresa pública de dragagens

O Bloco de Esquerda visitou os trabalhos de dragagem da Ria de Aveiro e anunciou a apresentação de uma proposta para a criação de uma empresa pública de dragagens.

“As dragagens são uma necessidade permanente no território. Em diversos locais são essenciais para a economia e para a conservação da natureza”.

Para o partido, faz todo o sentido que o Estado possa deter uma empresa com esta capacidade indispensável para o território e para a economia. “Poderá ter assim mais controlo e ser mais eficaz ao mesmo tempo que liberta o Estado de pagamentos constantes e avultados de empreitadas privadas”, defendeu o deputado Nelson Peralta.

O Bloco irá apresentar uma pergunta ao Ministério do Ambiente e da Ação Climática sobre a possibilidade de alargar a presente empreitada aos acessos de associações náuticas de índole não lucrativa presentes na Ria de Aveiro.

Questionará ainda sobre o problema registado em Estarreja que levou a que esse troço não seja alvo de dragagens dado que sedimentos estão contaminados com cádmio. O Bloco de Esquerda quer saber se o foco de poluição está já identificado. se está debelado e quais as medidas que o Ministério tomará para a requalificação ambiental da Ria de Aveiro, nomeadamente nesta zona.

O Grupo Parlamentar irá ainda questionar o Governo sobre o modelo de gestão da Ria. A Polis Litoral Ria de Aveiro deverá ser extinta a 31 de dezembro. No entanto, as dragagens estarão em curso ainda durante o próximo ano. O Bloco de Esquerda questiona o Ministério sobre a solução de transição para a gestão da obra.

O Bloco de Esquerda quer uma Ria que “seja tratada como um ecossistema essencial para o país e para as comunidades envolventes, liberta de lógicas de especulação imobiliária e de pequenos interesses autárquicos”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta