Sem categoria

bras atrasadas mas podem evitar "catástrofe" no aterro de Maceda

O presidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro, mostrou-se hoje satisfeito com as obras que o Governo promete iniciar nas próximas semanas na costa local e espera que, embora com atraso, essas evitem uma eventual "catástrofe" na lixeira de Maceda.

"O ministro [do Ambiente] visitou os locais mais estragados de Ovar e, mais importante do que isso, é o compromisso de uma ação imediata", declarou Salvador Malheiro. "As obras estavam previstas já em 2013, mas neste momento não vale a pena estar a olhar para o passado", afirma.

Para o autarca, impõe-se avançar com "soluções de emergência e atuar no imediato para fazer face à aflição das pessoas" – que nos últimos dias viram casas inundadas, passeios e ruas danificados e estabelecimentos comerciais destruídos -, mas é também de realçar a anunciada aplicação de "medidas inovadoras" na costa próxima da antiga lixeira de Maceda.

"Temos que ser audazes e testar novas soluções", defende Salvador Malheiro. "Ou atuamos de imediato ou temos ali uma catástrofe", garante.

Inserida numa zona florestal protegida, a antiga lixeira de Maceda, selada desde 1998 devido a contaminação dos lençóis freáticos, motiva a preocupação da comunidade vareira pelo risco de que o acentuado avanço do mar possa conduzir ao deslizamento em massa dos detritos aí enterrados.

"A lixeira de Maceda é um dos problemas identificados há muito e vamos aplicar ali uma solução inovadora, que é a colocação de defesas debaixo do mar, ao género de recifes artificiais", explica o presidente da Câmara.

A principal consequência dessa intervenção será a capacidade dos recifes para dificultar um eventual desabamento de terras, dado que a lixeira confina com o areal da praia, e para evitar o desastre ambiental que resultaria da exposição dos resíduos que há décadas estão depositados no local, onde foram sujeitos a processos de lixiviação e outros procedimentos poluentes.

Outro efeito da colocação de defesas sob a linha da água é "a possibilidade de ali se criar um spot adequado à prática de Surf", como Salvador Malheiro antecipa, considerando que essa solução de engenharia envolve plataformas que alteram a profundidade e a energia das ondas.

"O problema da orla costeira é muito mais complexo e tem que ser visto de forma integrada, com soluções novas", defende o autarca.

"Mas vou lutar para que Ovar consiga apagar definitivamente o problema da erosão da orla costeira de forma eficiente", promete.

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta