Terça-feira , 22 Maio 2018
Ler também:
Carnaval de Ovar: A visão de um outsider

Carnaval de Ovar: A visão de um outsider

Quando vim morar para Ovar já era um adulto formado e estas “coisas” do Carnaval não faziam parte dos meus costumes ou das minhas vivências. Então aproveitava esta época para dar uma escapadela e ir ter com os amigos a 300 km da folião.

O tempo foi passando e estas escapadelas foram sendo cada vez mais escassas, nos últimos tempos, tenho estado mais presente nesta data e a viver este estado carnavalesco de uma forma mais observadora. O suficiente para permitir-me fotografá-la, absorvendo o espirito do carnaval de Ovar.

A dedicação, o entusiasmo e a entrega demonstrada pelos participantes do carnaval e pelo resto da população a este evento não deixa de suscitar uma certa admiração e a questionar-me porque é que outros eventos em Ovar não conseguem trazer tantas pessoas à rua. Exemplo, comparação entre a “Quinta feira do Quim Barreiros” e o FIMO. O Quim ganha com maioria absoluta, com o repertório de piadas e musical quase tão antigo como o carnaval.

Ovar acorda de uma certa letargia anual para viver 1 mês de folia com 3 intensos dias de cortejos e bailes e desfiles e caminhadas e frio e chuva e alegria como se não houvesse amanhã. E parece que não há! Chegada a quarta feira de cinzas Ovar “morre”, o povo volta para as suas cavernas e hibernam até ao próximo ano.

Nem o verão tira o ovarino da sua caverna para passear na avenida do Furadouro como outrora. Até dava gosto de ver a Avenida apinhada da populaça, parecendo mais um dia de Carnaval. Só faltava os balões e os confetes.

E aqui estamos nós, preparados para mais um Carnaval Vareiro. A cara das pessoas não o nega… o samba pronto no pé quando ouvem alguma música brasileira… noites de trabalho nas sedes. O centro da cidade sem dormir por causa dos barulhos, ensaios e afins.

Gostava de ver este empenho em outras alturas do ano, e ter mais motivos para sair de casa para ir ao centro da cidade, um evento, qualquer coisa que juntasse as pessoas de Ovar num único propósito: diversão e cultura.

Ovar carece de eventos culturais e os que existem não chamam as pessoas, para participar. Ovar precisa de se reinventar. O povo Ovarino precisa de participar mais e exigir mais qualidade, tal como no seu Carnaval.

Ovar, agora que acordaste não adormeças!”

Abílio Miguel
25.01.2018

Deixe uma resposta