CulturaSlider

Com 204 anos, Banda Velha está cada vez mais nova

 

A Banda Filarmónica Ovarense, fundada a 4 de Dezembro de 1811, completa hoje a bonita soma de 204 anos de idade e amanhã organiza a sua habitual festa, o VIII D’ Ovar Pr’ Ovar, apresentando para o efeito um repertório sinfónico sob o tema “Infinito”. O espírito mantém-se, de Ovar para Ovar, sendo que vários serão os convidados, procurando prezar pela diversidade, originalidade e irreverência.

Com sede própria instalada na antiga escola primária de S. Miguel, fruto do empenho dos seus directores, Câmara Municipal e músicos, a Banda Ovarense orgulha-se de ser uma das mais antigas do país, com a particularidade de estar sempre ininterruptamente no activo ao longo dos 204 anos da sua existência.

Prestigiada, actua em romarias por todo o País e em Espanha, sendo também solicitada para serviços oficiais. Ainda há quem se lembre da sua participação em concursos de Bandas Civis, realizados em Aveiro, nos anos de 1905 e 1939, galardoada com a obtenção do 1.º e 3.º lugar, respectivamente. No último ano, participou no Concurso Internacional de Bandas, cujo desempenho foi reconhecido por todos e que se transformou num momento de aprendizagem, “revelador do que queremos ser no futuro”.

Mercê do seu inspirado labor, foi condecorada com a “Medalha de Ouro da Cidade de Ovar”, em 25 de Julho de 1984 e em 1987, foi considerada pessoa colectiva de utilidade pública. É sócia fundadora da Associação de Bandas Civis do Distrito de Aveiro.
A Banda Velha, como carinhosamente é tratada, é uma banda adulta com objectivos bem definidos, que são o ensino e a prática musicais, desviando-se assim de certo tipo de “competições”, que nada dignificam a verdadeira Filarmonia Portuguesa.

A Instituição possui desde 2001 uma Orquestra Ligeira, formada por elementos da banda, vocacionada para a interpretação de repertório mais ligeiro. Possui ainda uma Escola de Música, ministrada por professores, monitores e maestro (o popular Ascendino Silva, na foto abaixo), que são a garantia da continuidade da jovem instituição.

“O estado de maturidade adquirido em duzentos e quatro anos de história podem fazer crer que somos uma instituição acomodada, mas somos e seremos sempre irreverentes, desafiadores e resilientes na busca de novos projectos, na melhoria dos nossos saberes e na vontade de crescer”, diz, na sua página do Facebook.

Durante o último ano, acrescenta, “demonstramos a nossa capacidade na diversidade das nossas atuações, assente na versatilidade do nosso corpo musical e na irreverência e mestria da nossa direção musical. Actuamos em todas as freguesias do concelho de Ovar, levamos o nome de Ovar a vários locais de Portugal, apresentamos espectáculos como o Filarmónica Extravagante, o Terra-a-Terra, O Charanga (Circolando), o Bass Philharmonic e outros”. (Ler mais aqui)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta