LocalSlider

Comunidade dá as mãos em redor da EB São Donato

A construção da Escola Básica de São Donato, em São João de Ovar, onde se integra a única Unidade de Ensino Estruturado de Autismo do concelho ovarense, esteve quase para não acontecer. Manuel Lopes foi o presidente da Junta de Freguesia de São João (hoje extinta e integrada na União das Freguesias de Ovar, São João, Arada e São Vicente de Pereira) que, há 25 anos, acreditou que seria possível.

O antigo autarca recorda hoje algumas das dificuldades que o projecto teve de ultrapassar para se tornar realidade. “Foi muito difícil completar o negócio”, disse, lembrando que mesmo depois de ter tudo tratado com os proprietários do terreno onde a escola viria a ser construída, estes “não compareceram e a escritura esteve para não se realizar”.

Mas Manuel Lopes não desistiu e lá os conseguiu convencer a assinar e a escola aconteceu mesmo. “Ele sentia as carências da população e sabia que era uma oportunidade a não perder”, comenta, a propósito, Adriana Graça, vice-presidente da associação de pais dos alunos que hoje frequentam o estabelecimento de ensino que integra uma unidade de autismo frequentada por dez alunos.

A EB de São Donato completou 25 anos de vida, no passado dia 20 de Novembro, organizando uma festa para a qual convidou quem esteve directa ou indirectamente ligado à sua génese. Na festa, Cecília Oliveira, presidente do Agrupamento de Escolas Ovar Norte, garantiu que a unidade do autismo vai permanecer, enaltecendo o “grande trabalho que é ali efectuado”. “A unidade é procurada por meninos de vários pontos do concelho de Ovar e concelhos limítrofes”, explica Adriana Graça.

A sessão de aniversário, que contou com a presença dos autarcas que a viram nascer há um quarto de século, o actual vice-presidente da Câmara Municipal de Ovar, Domingos Silva ofereceu um azulejo comemorativo e assegurou que, apesar da escola se encontrar bem equipada, estão a chegar novas mesas e cadeiras”.

A dirigente da associação de pais reconhece que a “Edilidade está sempre muito atenta e resolve logo que pode qualquer necessidade, por intermédio da vereadora da Educação, Ana Cunha”.

Para a coordenadora da EB de São Donato, Teresa Sobral, o dia de aniversário “foi um dia muito feliz, já que a população também foi convidada e aderiu, porque sabemos que sempre ajudou muito a escola”. Não faltaram, ainda, “pais, avós e outros familiares, antigos autarcas, que impulsionaram o projecto da escola, também quiseram participar, o que nos deixou muito felizes a todos”.

“Esta é uma escola inclusiva que está a funcionar muito bem dentro dos condicionalismos habituais”, informa Teresa Sobral que entrou na escola de Guilhovai,  como professora de apoio, assumindo este ano as funções de coordenadora.  “A escola beneficia muito da comunidade que é pequena, mas atenta e preocupada e nunca deixa aqui faltar nada”, acrescentando que, “talvez por ser um meio pequeno a população acarinha muito esta escola e todos colaboram para o seu bom funcionamento”.

Muitas escolas podem ter razões de queixa, mas a EB de São Donato não tem. “As instalações que temos são boas, pois ainda há dois anos tivemos obras de remodelação”, afirma Teresa Sobral, confirmando que estão prometidas novas mesas e cadeiras escolares. Mas o mais importante para a coordenadora é que “há um corpo docente estável”.

Exposição e bolo

A festinha de aniversário da EB de São Donato é um exemplo acabado de uma comunidade que dá as mãos à volta da sua escola. Todos arregaçaram as mangas – pais, professores, população e autarcas para a festa acontecer. “Os meninos cantaram uma canção que ensaiaram para o aniversário, inaugurou-se uma exposição de fotografias do dia em que escola abriu há 25 anos”. “Foi bonito”, resume Adriana Graça. “As crianças estavam muito felizes até porque havia bolo e isso é fundamental”. O jornalinho da escola, que só funcionou no primeiro ano, “vai regressar às bancas”, prometeu a coordenadora com orgulho incontido. (ler mais in Diário de Aveiro)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta