Opinião

Correio do Leitor: Cortejo do Rei de Carnaval no dia das eleições presidenciais do dia 24 de Janeiro 2016

 

Pedro DamiãoConfirma-se que “este executivo gosta, sente e vive o Carnaval de Ovar”. Confirma-se que 24 de janeiro será o dia da chegada do Rei do Carnaval segundo o programa do Carnaval de Ovar 2016 organizado e promovido pela Câmara Municipal de Ovar.

E confirma-se também que é no mesmo dia que os portugueses são chamados às urnas para elegerem o próximo Presidente da República.
Como ovarense e reconhecendo a evidente influência que os festejos carnavalescos têm nesta comunidade, custa-me acreditar que os senhores autarcas responsáveis por esta festa, particularmente esta da chegada do Rei do Carnaval, que tem um cariz mais popular e tradicionalmente satírico, tenham insistido com tal rigidez na coincidência da data, mesmo que o anúncio da data das presidenciais tenha sido posterior ao do programa de Carnaval.

Como também me custa acreditar, que o Sr. Presidente da Câmara, assim como o Sr. Vereador da Cultura, as senhoras e senhores deputados municipais estejam disponíveis a pactuarem com tal grotesco cenário de verdadeiro desrespeito para com um ato político decisivo para o país e que por isso, nos deve merecer responsabilidade exemplar exercício de cidadania; a pactuarem numa estranha desvalorização do ato cívico de votar em condições que dignifiquem, o que considero ser, um importante momento para se poder escolher em liberdade, um novo Chefe de Estado no quadro atual do país.

Como cidadão recuso ter que acreditar que o exercício nobre da política é uma autêntica folia, como também me recuso acreditar, que são os próprios autarcas eleitos pelo voto dos seus munícipes, os patrocinadores de tal circo e incentivo ao descrédito nos políticos e na política que acaba por engrossar o convite à abstenção.

“Mas está tudo pensado para não dar azo à abstenção: as mesas de voto ficam concentradas numa escola da cidade, garantindo por isso, os responsáveis, que a concentração dos milhares de pessoas que habitualmente se deslocam ao centro da cidade para ver os reis e ouvir os discursos não irão ter influencia no ato eleitoral.”

Mais uma vez como ovarense, vareiro e gostar de uma boa folia, nada me daria mais prazer em reconhecer também que os próprios autarcas desta querida cidade quisessem ver, sim, as milhares de pessoas que habitualmente se deslocam ao centro da cidade para ver os reis e ouvir os discursos, mas também a reconhecer esses mesmos autarcas a propagandearem a ida às urnas e incentivarem essas milhares de pessoas a quebrarem a abstenção que se abate no concelho.

Resta-me a esperança de que tudo isto não passa de uma brincadeira de mau gosto. Porque de facto nunca poderá ser encarada com a frase, “no Carnaval ninguém leva a mal”.

Certamente que, todas as partes envolvidas no programa do Carnaval de Ovar, autarcas e grupos carnavalescos não vão querer afirmar a “marca” Carnaval de Ovar com uma “campanha” de sátira política carnavalesca num dia em que livremente, se deve exercer, assim se espera, civicamente o exercício democrático para as eleições presidenciais.

Votar, exercendo um dever cívico ao som de arrufos carnavalescos é comédia pouco adequada para o dia.
Deixo este apelo para que impere o bom senso, para que o ato eleitoral em Ovar decorra com a normalidade democrática necessária e no respeito pelos eleitores e já agora, pelos diferentes candidatos ao cargo presidencial.
Se me responderem que o programa de Carnaval 2016 já é público há mais de um mês, considero ser ainda mais grave até hoje não ter havido uma acertada decisão de mudar o Cortejo do Rei.

Uma responsabilidade que caberá certamente à Câmara Municipal de Ovar e aos grupos e escolas de samba que habitualmente desfilam, para que não se tornem coniventes com tão infeliz espetáculo nesta terra com tradições no entrudo.
Assim, nesta festa em que a Câmara de Ovar aumentou o investimento com mais 500 euros a cada grupo, num total de cerca de 207 mil euros do orçamento municipal, é expectável que tal apoio ao Carnaval não promova uma tal desvalorização do exercício de cidadania, já que, e recordando as palavras do Sr. Presidente da Câmara, Eng. Salvador Malheiro, sobre esta festa, “Para o sucesso do nosso Carnaval é determinante o esforço de todos. A sua concretização assenta numa verdadeira parceria entre a autarquia e os grupos e escolas de samba. O resultado final só é positivo se existir um verdadeiro envolvimento de todos, numa responsabilidade partilhada”.

Ora assim sendo, para o próprio sucesso desta festa e do bom nome de Ovar só se pode esperar que a data do Cortejo do Rei de Carnaval seja alterada para que o reinado folião em Ovar não se confunda com a eleição do Presidente da República. Nem mesmo confunda os ovarenses se se deve festejar a chegada do Rei do Carnaval ou a saída do Prof. Cavaco Silva da presidência.

Pedro Damião
(Intervenção no ponto do público na Sessão Extraordinária da Assembleia Municipal, a 17 de Dezembro de 2015)

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Leia também

Close