Quarta-feira , 22 Novembro 2017
Ler também:
Desculpem – Quem tem medo?

Desculpem – Quem tem medo?

Desculpem.
Desculpem se quando chego a casa do trabalho, cuja grande fatia do ordenado é por vós pilhada, não agarro no meu carro com IUC e afins em dia, atestado com combustíveis a preços proibitivos, e não vou até ao pinhal de leiria limpar mato.
Desculpem-me contar com um ou dois aviões que funcionem e possam dar uma mãozinha a apagar isto – bem sei que foram caros e trabalharam imenso para os comprar, não quero ser abusivo.
Desculpem contar com os nossos bombeiros, bem sei que a vida anda difícil e que essa malta quando anda a apagar fogos tem a mania parva de comer e beber muito, oa altos preços que se cobram por hora dá perfeitamente para trazerem farnel de casa.
Desculpe a classe política ainda não termos sido pro activos o suficiente como povo e tratado de criar torres de vigia e patrulhas voluntárias para prevenção e gestão das florestas, desde que extinguiram a guarda florestal já tivemos mais que tempo.
Desculpem falar em demissões quando já contabilizamos 100 mortos em 5 meses por incompetência.
E por fim desculpem toda a nossa resistência quando deviamos acreditar que estão a fazer o vosso melhor com o nosso dinheiro sacrificando as vossas vidas pessoais e luxos para o conseguirem.

Nuno Figueiroa Rego

Deixe uma resposta