Opinião

Distúrbio Afectivo Sazonal (DAS) – Luís Filipe Silva

Aconselhamento Geral Alimentar

Nutrição: Muitas vezes as nossas escolhas alimentares são influenciadas por factores externos. As emoções, as alterações climatéricas e muitos outros elementos das nossas vidas, a maioria deles negativos e determinantes. Vidas difíceis, dificuldades nas relações familiares ou profissionais, traduzem-se frequentemente em tentativas de compensar as emoções com os prazeres da gastronomia, rica em açúcares e gorduras. Vejamos:

Se um indivíduo está a usar hidratos de carbono e comida de pastelaria como fuga para a tristeza, deveria iniciar um plano de desintoxicação. Para eliminar o excesso de açúcar e a acumulação de substâncias tóxicas do organismo, deve-se fazer um jejum de três dias à base de sumos. As bebidas verdes são especialmente úteis para estabilizar o organismo nesse período. No final do jejum, o indivíduo sentir-se á mais leve e com mais energia.

Recomendado:

Uma maneira de se manter o bom humor é estar com os níveis do açúcar sanguíneo estabilizados.
As hortaliças e as proteínas magras estabilizam os níveis de açúcar no sangue.
Fazer uma refeição leve ou lanche várias vezes ao dia para afastar a vontade de comer pães e doces.  Ao ingerir hidratos de carbono, escolher apenas cereais integrais, como:
Aveia
Arroz

Trigo integrais. Esses alimentos são ricos em fibras que retardam a libertação dos açúcares na corrente sanguínea.
Acrescentar à sua alimentação diária alimentos ricos em proteínas necessárias para conseguir energia e triptofano, um aminoácido que estimula a produção da hormona cerebral que gera a sensação de bem-estar. Assim, deve-se
consumir:
Peru
Frango
Atum
Salmão

As vitaminas do complexo B atuam como um tónico sobre o sistema nervoso. Incluir:
Levedura de cerveja (Atenção se houver presença elevada de ácido úrico no organismo)
Hortaliças
Folhas
Iogurte natural sem açúcar
A couve-de-bruxelas é um alimento perfeito para quem sofre de desordem afetiva sazonal. É uma fonte concentrada de vitamina C que combate o cansaço e tem um efeito estimulante sobre o humor. Ao contrário das frutas cítricas, a couve-de-bruxelas tem pouco teor de açúcar. Como a cozedura destrói a vitamina C, deve ser consumida crua, em sumos, na salada ou servida com molho.

Evitar:

Tentar resistir ao desejo de comer açúcar, pão e outros hidratos de carbono simples. Embora esses alimentos possam melhorar temporariamente o humor, o açúcar do sangue cai rapidamente, deixando a pessoa ainda pior do que estava antes.
Associado ao aumento de peso, que muitas vezes resulta da ingestão excessiva de hidratos de carbono, vai agravar o cansaço e deixar o indivíduo suscetível a constipações, gripes e outras doenças comuns no inverno. Se a pessoa tiver que fazer uma refeição completa, deve comer uma sobremesa doce de vez em quando, por exemplo, depois de uma refeição contendo proteínas, hortaliças e alguns pães integrais. Desta forma, o açúcar não irá desferir um golpe tão forte sobre a corrente sanguínea.

As pessoas que sofrem de DAS também têm tendência a apoiar-se na cafeína para se levantar de manhã e manter-se alerta durante o dia. Mas a cafeína funciona de uma maneira muito parecida com o açúcar, ou seja, logo que o ímpeto aumenta e diminui, a pessoa passa a sentir-se exausta e irritadiça. A cafeína também retira ao organismo vários nutrientes essenciais para um sistema nervoso saudável. Deve-se limitar a uma chávena de café ou de chá por dia.
A comida de cafetaria provavelmente não é uma causa direta do problema, mas pode exacerbar os sintomas: ganho de peso, supressão do sistema imunitário e cansaço estão ligados ao consumo de aditivos e ingredientes artificiais. Deve-se evitar esses alimentos.

O álcool é um sedativo, portanto, deve-se evitar vinho, cerveja e licor.

Luis Filipe Silva
Naturopata / Acupunctor

Artigos relacionados

Deixe uma resposta