Sem categoria

Escuma

 

Ele vai-nos deixando alguns avisos,- sonoros e físicos. Entrincheirados, demoramos a perceber que ele apenas reclama o que é seu. Que quem tem de recuar somos nós, mau grado esta nossa insistência em querer inverter os fatores.

Ele vai deixando marcas do próximo avanço- escumando, lançando as suas marcas premonitórias de outras conquistas. Molhe de teorias derreado.
Solenemente, sem forçar com a classe de quem sabe ser o mais forte, lentamente se vai impondo empurrando-nos para trás- sempre que pensamos que o fizemos recuar de vez, ele retorna com mais vigor.

O mar, ele, parece apenas querer reconquistar o que já lhe pertence faz séculos.
Primeiro são os alertas sonoros de pré-aviso. Depois ele avança, derrubando os minúsculos obstáculos colocados na sua frente. Pensamos ter sempre a solução para tamanho problema, mas só nos resta voltar à trincheira mais antiga.

É um avanço em síncope, em breve haverá uma mudança estratégica, um aparente recuo, que nos dará a impressão que fomos nós que o fizemos recuar.
Vã glória, fotográfico momento de ilusória vitória.
De súbito, ele voltará para recolher a sua escuma e lançar uma renovada mais à frente.

(Fotografia de hoje, final de tarde na Praia dos Marretas).

Henrique Gomes

05.01.2014

Artigos relacionados

Deixe uma resposta