LocalSlider

Esquadra do Montijo pode “voar” para Maceda

 

Rergressa à ordem do dia o que reserva futuro do Aeródromo de Manobra n.º1 (AM1) de Maceda, depois da assinatura do acordo de financiamento de expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa através da reconversão para a aviação civil da Base Aérea n.º 6, no Montijo,

O chefe do Estado-Maior da Força Aérea informou que os helicópteros instalados no Montijo serão colocados na Base Aérea n.º1, em Sintra e que as esquadras de transporte irão para Beja, e “talvez exista a possibilidade de colocar uma delas em Ovar”. O custo da deslocalização da frota da base do Montijo pode chegar aos 200 milhões de euros mas Manuel Rolo não vê esta operação como uma preocupação, mas sim “como um desafio”.

O presidente da Junta de Freguesia de Maceda, Miguel Silva, observa com alguma apreensão a eventual utilização da AM1, no novo dispositivo da Força Aérea, no quadro das alterações impostas pela abertura da base do Montijo à aviação civil. “Espero que isso não impeça que Maceda venha a servir de apoio no transporte de passageiros quando a saturação do Aeroporto de Pedras Rubras estiver em cima da mesa”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta