Política

JS elege novos órgãos com programa para habitação jovem

Sob o lema “Dar Força à Juventude”, Martim Guimarães da Costa foi eleito novamente presidente da estrutura concelhia de Ovar, no passado Sábado, na eleição dos órgãos da estrutura.

Foram igualmente eleitos como vice-presidentes José Pedro Barge e Ana Teresa Coelho, e, como Secretários Concelhios Vanessa Lopez, Sérgio Moreira, Luís Vicente, Ângela Calção, Paulo Cunha, Pedro Murteira e Suzi Dias. Para a Mesa da Assembleia Concelhia foram eleitos Arturo Licínio De Oliveira López, como Presidente, bem como Suzi Dias e Bruno Magalhães para Secretários da Mesa.

No que concerne aos representantes da JS na Comissão Política do Partido Socialista, foram eleitos Frederico de Sousa Lemos, Arturo Lícino Lopez e Ana Teresa Coelho, como efetivos, e José Pedro Barge, Ângela Calção e Suzi Dias, como suplentes.

A JS Ovar aponta como objectivo prioritário deste mandato o problema do acesso à Habitação. Segundo Martim Guimarães da Costa “não há um programa municipal de apoio ao arrendamento jovem; não há no nosso município benefícios fiscais para os jovens que queiram construir a sua habitação; não foi consolidado um parque habitacional público que permita dar resposta às carências habitacionais dos jovens do nosso concelho”.

“Urge por isso uma força política jovem com a força necessária para pressionar o actual executivo a tomar medidas que permitam corrigir esta enorme lacuna”. Outros problemas assinalados pelos novos eleitos foram: o problema do nosso modelo de Ensino, cuja a oferta formativa não se adapta às realidades empresariais do nosso Concelho e que leva a cada vez mais alunos optarem por Estarreja e a Feira; o problema da Mobilidade, o transporte público rodoviário é caro e tem pouca expressão e por isso defendemos o alargamento do Programa de Apoio à Redução Tarifária nos Transportes (PART) aos jovens e ao transporte público ferroviário, o problema do afastamento gradual dos jovens do nosso Concelho do mundo Associativo e do Poder Local (o nosso Município só tem 4 associações jovens, e uma delas corre o risco de fechar); o problema da Acção Social, cuja a ausência de uma resposta social para desenvolver, com os jovens, acções de exploração e orientação vocacionais, com o objectivo de co-construir projectos de vida ajustados aos interesses de cada um.

A JS Ovar considerou ainda que os próximos dois anos serão fundamentais para a definição da estratégia política com a qual, na representação de todos os jovens do Município de Ovar, se vão apresentar, numa proactiva e estreita colaboração com o PS, às eleições autárquicas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta