EmpresasSlider

Lactogal diz “desconhecer” motivações da associação para manifestação

 

A Lactogal, empresa agroalimentar portuguesa, disse hoje “desconhecer as motivações” da associação de produtores de leite de Portugal que levou a convocar uma manifestação hoje do setor do leite.

Na sequência de uma manifestação que concentrou hoje, no Porto, mais de meio milhar de produtores de leite a pedirem a demissão da administração da Lactogal, que acusam de estar a prejudicar o setor que este ano já perdeu mais de 160 explorações de leite, a Lactogal esclareceu que desconhece “qualquer relação” com a associação que convocou a manifestação.

“Os protestos a que hoje assistimos são convocados por uma associação [de Produtores de Leite de Portugal — APROLEP], que não teve e não tem qualquer relação, nem jurídica, nem comercial, nem funcional com a Lactogal, pelo que desconhecemos as suas motivações”, lê-se no comunicado de imprensa.

A Lactogal esclarece, por seu turno, que mesmo sem a existência de quotas de produção desde 2015, “continua a receber e a pagar mais pela matéria-prima que compra, em relação à média de mercado.

“Ainda este ano, a Lactogal continuou a pagar mais de 2,5 cêntimos por litro e, só a partir de agosto, reduziu um cêntimo ao preço de cada litro que paga às cooperativas, desconhecendo se os seus acionistas vão desvalorizar o pagamento do leite nesse valor ou não”.

A Lactogal alega que assumiu o compromisso de “apoiar financeiramente” as cooperativas de leite, para que avançassem com a implementação dum “plano de ajuste da produção de leite em 60 milhões de litros”, ficando a definição da forma e critérios de aplicação desse ajustamento sob a exclusiva responsabilidade de “cada cooperativa”.

“Tratou-se de uma decisão que representou um grande esforço financeiro, mais uma vez para defender e valorizar a produção de leite nacional, para que esta se torne mais competitiva e sustentável, num quadro de mercado global”, explica a Lactogal, recordando que é uma sociedade anónima, cujos acionistas são três organizações cooperativas.

A Lactogal diz estranhar o foco do protesto de hoje, considerando que o “grande desafio do setor, em Portugal, é competir com produtos provenientes de outras origens e com práticas de ‘dumping’ [abaixo do custo de produção] em produtos e categorias lácteas tão relevantes como o queijo, leite e iogurtes”.

“Em Espanha, por exemplo, os produtores conseguiram sensibilizar todos os ‘stakeholders'[partes interessadas] para criarem condições para uma clara e forte redução dos produtos importados. […] Ao contrário, em Portugal, a APROLEP protesta contra a Lactogal por continuar a absorver toda a produção e a pagar muito mais do que a média do mercado”.

A Lactogal, empresa agroalimentar portuguesa especializada em laticínios e seus derivados, foi fundada em 1996 pela União das Cooperativas de Produtores de Leite Entre Douro e o Minho e Trás-os-Montes (AGROS), UCRL, a LACTICOOP – União das Cooperativas de Produtores de Leite entre Douro e Mondego, UCRL, e a PROLEITE/MIMOSA, e tem o objetivo de produzir e comercializar nos mercados nacional e internacional laticínios e outros bens alimentares através das suas marcas.

Os produtores de leite em Portugal tomaram recentemente conhecimento da decisão da Lactogal de baixar um cêntimo por litro de leite a partir de 01 de agosto deste ano, propondo ainda aos produtores pagar-lhes para desistirem de fornecer leite ou reduzirem os seus contratos, por forma a diminuir a recolha anual em 60 milhões de litros de leite.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta