Opinião

Lombas na Estrada do Mar – Florindo Pinto

A estrada que nos leva desde o aqueduto da CP, até à praia, naquele percurso que deveria ser denominado de Estrada do Mar, foi alindada, preparada para a movimentação de peões e de ciclistas, e deixado espaço livre para a movimentação de viaturas motorizadas, que estão sujeitas a um limite de velocidade de 50 Km.

A segurança dos peões, só pode estar em risco no momento de se usar uma das várias passadeiras, que, por si só, ditam “leis” aos condutores.

E por que assim é, consideramos de francamente descabido, o por ali colocarem lombas na estrada.
É simplesmente um atentado à capacidade mental dos condutores o que o executivo da Junta decidiu fazer.
Quem por lá passa interroga-se do porquê “daquilo ou daquela…”. Sente-se ofendido pelo “trato” que é dado aos carros e às pessoas de estado de saúde mais débil, pessoas que não querem, nem podem andar aos saltos.

De resto, os autores da “brilhante ideia”, já foram alertados para os inconvenientes que trouxeram às pessoas. Reconheceram o erro, mas, agora, se retirarem as tais lombas como justificam o dinheiro mal gerido e pior aplicado?

Humildade na procura do melhor para a comunidade, é uma virtude. Se o “erro” foi cometido, há que o corrigir, eliminando-o.

Florindo Pinto

Artigos relacionados

Deixe uma resposta