Quarta-feira , 22 Novembro 2017
Ler também:
Mais de 150 médicos urologistas de bigode pela Saúde do Homem

Mais de 150 médicos urologistas de bigode pela Saúde do Homem

Mais de 150 médicas e médicos urologistas de praticamente todos os hospitais de Portugal vão deixar crescer o bigode ou usar um pin com um bigode durante o mês de novembro. Esta iniciativa tem o objectivo de alertar para as doenças do homem, como o cancro da próstata, mas também o cancro do testículo ou do pénis, as várias disfunções sexuais masculinas e as depressões. A iniciativa é da Associação Portuguesa de Urologia (APU) e conta com o apoio da Janssen Portugal, companhia farmacêutica do grupo Johnson & Johnson, e da Esfera das Ideias, editora e produtora de conteúdos.

Conscientes da importância das campanhas de sensibilização e da prevenção primária da saúde, os médicos urologistas vão deixar crescer o bigode e/ou usar um pin em formato de bigode, desta forma abrindo a participação também às mulheres. O objectivo é chamar a atenção para estas problemáticas, contribuindo também para desmistificar algumas patologias e para incrementar o diagnóstico precoce das doenças que afetam o homem.

Para assinalar esta iniciativa serão lançadas duas cadernetas, junto de um público muito alargado, nomeadamente todos os urologistas activos e reformados, directores executivos dos Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) e coordenadores das Unidades de Saúde Familiar (USF), diretores clínicos de todos os hospitais, sociedades e associações médicas, Ministério da Saúde, DGS, ARS e Ordem dos Médicos. A primeira caderneta terá as fotografias dos médicos urologistas que se comprometeram aderir à campanha, sendo que em dezembro será lançada uma nova caderneta com as fotografias de todos os que participaram, com e sem bigode.

“Temos consciência da enorme importância que as campanhas têm na sensibilização e prevenção primária de saúde e esperamos que esta iniciativa permite aumentar o conhecimento sobre as doenças do foro urológico, tais como o cancro da próstata e testicular, mas também de outras questões, nomeadamente a saúde mental”, refere Arnaldo Figueiredo, coordenador da iniciativa junto dos médicos urologistas.

Segundo o estudo Prostate Cancer: Living, not Just Surviving1, o cancro da próstata é o segundo tipo de cancro mais frequentemente diagnosticado nos homens, e o segundo mais comum a nível global. Até 90% destes cancros são detectados num estádio precoce quando o tumor ainda se encontra numa fase inicial, sendo diagnosticados todos os anos mais de 6.500 casos de cancro da próstata e morrem 1.500 homens.

Referências:
1.  Prostate Cancer: Living, Not Just Surviving. Janssen, Europa Uomo, Association Nationale des Malades du Cancer de la Prostate, Prostate Cancer Support Federation, Tackle Prostate Cancer, Prostatacancerförbundet. 2015.
Disponível em: www.janssen-emea.com/hpc/reports/Living-prostate-cancer

2. GLOBOCAN 2012 – Estimated Cancer Incidence, Mortality and Prevalence in Worldwide in 2012. France: International Agency for Research on Cancer, World Health Organization.

Deixe uma resposta