LocalSlider

Município reserva mais de 6 milhões de euros para direitos sociais, saúde e educação

O Orçamento do Município de Ovar para o ano de 2016 é de 33.136.900 euros, e respeita a regra de ouro do equilíbrio financeiro. Isto é, “a previsão de receitas correntes é superior à estimativa de despesas correntes a realizar, permitindo a libertação de um saldo corrente de 3.279.583 euros para a concretização de investimento municipal”. As Grandes Opções do Plano para 2016 apresentam um valor global de 25.270.900 euros.

O “enfoque e a nossa prioridade são as Pessoas. Não estamos, nem somos alheios às suas dificuldades. Por isso destinamos mais de 6 milhões de euros para direitos sociais, saúde e educação no Orçamento de 2016” refere o presidente da Câmara Municipal, Salvador Malheiro, no documento.

Os investimentos com os edifícios e equipamentos municipais, o Centro Cívico de Cortegaça, a Escola Oliveira Lopes ou o Edifício Multiusos de S. João, são algumas das prioridades.

Outros investimentos estão previstos no âmbito do PEDU – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, e os projectos municipais acolhidos em sede do Pacto da Região de Aveiro, que correspondem a 3.385.000 euros e que contemplam a Unidade de Saúde Familiar de Válega, a remodelação da Escola Secundária Júlio Dinis, intervenções em quatro escolas do ensino básico e a requalificação da Piscina Municipal, ao nível da eficiência energética, são alguns dos investimentos estratégicos contempladas nas GOP’s de 2016.
Destaque ainda para as acções de Desenvolvimento Local de Base Comunitária – DLBC’s – costeira e rural, já aprovadas em sede da CIRA – Região de Aveiro, com um valor superior a 1,1 milhão de euros, bem como os projectos resultantes do Orçamento Participativo.

Além do investimento directo projetado pela Câmara Municipal de Ovar para o território, acresce ainda a expectativa de investimento no próximo ano, proveniente da ADRA – Águas da Região de Aveiro, (nomeadamente na construção da rede de saneamento nas Freguesias de Maceda e Arada), da Sociedade Pólis da Ria de Aveiro, (em concreto na obra da Barrinha de Esmoriz e na requalificação dos cais da Ria, no seu braço norte), das Infraestruturas de Portugal (anteriormente designada de REFER) na requalificação das estações de caminho-de-ferro de Ovar e de Esmoriz e do Ministério do Ambiente na defesa da costa na orla costeira de Ovar.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta