Opinião

Nossa Senhora da Boa Viagem – Henrique Gomes

Uma festa discreta, feita à dimensão dos seus e de mais uns quantos forasteiros, que encerra a contragosto, agosto.
Encontros e reencontros. Partidas, brincadeiras e a séria vontade de ficar impossível de concretizar.
Boa Viagem! Motivo para ficar que confirma a desmotivação de partir, mesmo com protecção divina.

Boa Viagem e as roulottes que chegam para espalhar doces odores. Salgados que acompanham minis em improvisada esplanada do café local.
Festa singela, discreta, mesurada e equilibrada nos conteúdos religiosos e pagãos.Evento de simplicidade cativante. Sem cartaz de vedetas de rádio e televisão, prefere protagonizar as gentes locais.

Festa de reduzida dimensão mas repleta de animação! As festividades da Senhora da Boa Viagem cercadas que estão por grandiosos eventos de lugares próximos, passam desapercebidas a muitos, sobretudo aos que preferem festas com sonantes nomes apregoados em vistosos cartazes.

Festa feita com propósito e a propósito, equilibrada no céu e na terra, expressão genuína de um povo acolhedor.
A ria, desta vez em versão lameiro, é companhia sempre fiel e disponível para projectar luminosidade e sonoridade oriunda da festa anual do Torrão

Henrique Gomes

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Leia também

Close