Quarta-feira , 20 Junho 2018
Ler também:
O fenómeno dos casinos online

O fenómeno dos casinos online

Os casinos online vieram para ficar. Tal como muitas outras inovações trazidas pela internet ao longo dos últimos 20 anos, os jogos de casino deixaram de estar confinados aos espaços físicos e passaram a estar também no mundo virtual.

Uma vez que os prémios atribuídos são em dinheiro real, para o jogador, a sensação de adrenalina e vitória é relativamente semelhante. É certo que falta a envolvência, a proximidade das pessoas, a presença de um “croupier” real, mas o efeito é muito parecido.

Quanto aos elementos de segurança e fiabilidade, e após os primeiros anos em que tanto os empresários como os jogadores estavam ainda a “explorar o terreno”, hoje já não é fácil “encontrar” casinos que funcionem sem regras. Existe uma grande diversidade de plataformas que cumprem padrões de segurança internacionais e nacionais – nomeadamente aqueles que estão baseados em Malta, reconhecido como um país simultaneamente favorável a esta indústria e exigente com o cumprimento de padrões de qualidade.

Como aceder
Para os utilizadores também é fácil encontrar e reconhecer esses casinos. Geralmente, um certo grau de exigência na colocação de dados pessoais corresponde a um nível de segurança elevado por parte da plataforma. Para aceder, basta entrar no site, como por exemplo no netbet.com, fazer o registo e começar a jogar.

E tal como a internet se tem vindo a deslocar, gradualmente, dos PC e computadores portáteis para os tablets e, principalmente, para os smartphones, os casinos online têm acompanhado a tendência. Já não é raro encontrar plataformas com sites optimizados para jogar através de um browser (navegador) mobile como com aplicações para Android e iOS.

Será esta actividade devidamente regulamentada? Claro que sim.

Naturalmente, para os ovarenses que queiram experimentar ou passar um serão a jogar jogos de casino, a relativa proximidade dos casinos de Espinho e da Figueira limita esta necessidade de jogar. Contudo, uma vez que é tão simples começar a jogar na roleta a partir do smartphone, até que ponto não se poderá assistir a um “boom” neste sector dos casinos online?

Na verdade, parece que o negócio está a subir, e basta acompanhar as notícias para percebermos que não só a actividade está a ser regulamentada, como o Estado tem, aparentemente, todo o interesse em que tal aconteça. De acordo com um artigo recente da Sábado, um relatório do Serviço de Regulação e Inspecção de Jogos do Turismo de Portugal aponta que as Finanças já angariaram 54,3 milhões de euros em impostos, desde que o imposto sobre o jogo online entrou em vigor em 2016.

Leitor devidamente identificado

Deixe uma resposta