CulturaSlider

“O rei dos belgas’ vence festival de cinema de Avanca

 

[themoneytizer id=”16574-1″]

 

O filme “O rei dos belgas”, de Peter Brosens e Jessica Woodworth, venceu a 22.ª edição do festival de cinema de Avanca, anunciou a organização.

A dupla Brosens e Woodworth vence, assim, pela terceira vez o grande prémio do festival, acumulando desta vez com o prémio D. Quixote da Federação Internacional de Cineclubes (FICC), que se estreia a atribuir prémios em Avanca.

Em comunicado da organização, o júri da FICC, constituído Christl Grunwald Merz (Alemanha), Mokhlesur Rahman Talukdar (Bangladexe) e João Paulo Macedo (Portugal), refere que o filme ‘aponta contradições entre as boas intenções da fundação da União Europeia e também das Nações Unidas e as realidades vividas na Europa após a Segunda Guerra Mundial’.

As longas-metragens ‘Marias da Sé’, de Filipe Martins (Portugal), ‘Ivan’, de Janez Burger (Eslovénia), e ‘A Floresta’, de Roman Zhigalov (Rússia), receberam menções honrosas.

O prémio de melhor atriz foi atribuído a Marusa Majer, por ‘Ivan’, enquanto o prémio de melhor ator foi para Oleg Shibayev, por ‘A Floresta’.

No que diz respeito às curtas-metragens, o prémio foi atribuído a ‘Terra Amarela’, de Dinis M. Costa (Portugal), e a animação ‘Playing House’, de Özgül Gürbüz e Cenk Köksal (Turquia), recebeu a distinção de melhor animação.

No âmbito da Competição Avanca, que reuniu trabalhos produzidos ou coproduzidos a nível local, foi distinguida a curta-metragem ‘5 cigarrilhas’, de Passos Zamith, o documentário ‘Casa Amarela’, de Ana Luísa Lopes, e o prémio Estreia Mundial foi para ‘Pretu Funguli’, de Costa Valente e Monica Musoni.

O júri de cinema foi composto pelo jornalista Germano Campos e pelos cineastas Angelique Muller (Malta), Masoud Soheili (Irão), Simone Saibene (Itália, Espanha), Lolo Arziki (Cabo Verde) e José Carlos de Oliveira.

O festival de Avanca é organizado pelo Cineclube de Avanca e pela Câmara Municipal de Estarreja.

Já este mês, a Câmara Municipal de Estarreja e o Cineclube de Avanca anunciaram que iriam criar um fundo de produção cinematográfica para financiar a produção local.

Na altura, a vereadora da Cultura, Isabel Simões Pinto, disse que ‘a parceria entre a Câmara de Estarreja e o Cineclube de Avanca vai ser reforçada, com a criação de um fundo de produção cinematográfica’, o ‘Avanca Film Fund’, desde já dotado pela autarquia com dez mil euros.

Para António Costa Valente, presidente do cineclube que vem organizando o festival, ‘passados 21 anos, mais de 100 filmes produzidos e com mais de 300 prémios recolhidos pela produtora local, há condições únicas para que Estarreja possa ter uma indústria cinematográfica relevante’.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta