LocalSlider

O triunfo dos tractores

Certame fez esquecer Ovarural

O primeiro encontro de tractores de Válega transformou-se numa jornada de convívio entre agricultores vizinhos, fazendo esquecer a não realização, este ano, do Ovarural, certame dedicado ao sector agrícola que se realizou em Válega, no últimos anos.

Ao chamamento da Associação Cultural e Recreativa de Valdágua (ACRV) acorreram cerca de três dezenas de tractores de Válega, Estarreja, Murtosa e Oliveira de Azeméis, que vieram prontos para tudo até para competir.

“Tivemos cerca de três dezenas de participantes nas várias modalidades”, descreve Sérgio Pinho, presidente da ACRV, colectividade organizadora. Embora recorde que o primeiro encontro do género aconteceu há 15 anos, “nestes moldes, com as duas provas e com gastronomia associada, foi o primeiro”.

Sérgio Pinho diz que o ressurgimento do encontro gerou muita curiosidade, “correu muito bem, com muita adesão do público”. No concelho de Ovar é a única iniciativa do género e no distrito talvez ainda se realize um encontro de tractores em Vagos.

Os tractores chegaram e além de terem de posar para a fotografia como se de beldades se tratasses, tinham à sua espera uma vertente competitiva que incluiu uma prova de esforço (puxar uma cisterna de 16 toneladas, 8 toneladas ou 3 toneladas, conforme a potência de cada tractor, divididos pelas classes de até 90 CV, de 90 a 120 CV e mais de 120 CV.

As provas contemplaram uma corrida em pista com o vencedor a ser conhecido pelo melhor tempo, e uma outra prova de perícia de marcha para trás, com o vencedor a ser conhecido pelo mesmo método.

Para primeira edição, “foi um sucesso para repetir mas vamos tentar melhorar as condições para a parte da gastronomia”, reforçando Sérgio Pinho que “foram vendidos 5 tachos de rojões e 5 de pernil”, por exemplo.

A ideia é tentar fazer demonstrações de máquinas novas para a agricultora, melhorar pistas e apostar mais na divulgação, adiantou o responsável, lançando já um objectivo a prazo: “Quem sabe se, dentro de anos, não se transforma numa feira agrícola”. (Fotos: A. Dias)

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta