SaúdeSlider

Obra do bloco operatório do Hospital de Ovar em risco

[themoneytizer id=”16574-1″]

Afinal, a requalificação do bloco operatório do Hospital Dr. Francisco Zagalo pode não ser uma promessa para cumprir, ao contrário do que garantiu, há um ano, Rosa Valente de Matos, a secretária de Estado da Saúde, durante a inauguração da Unidade de Saúde Familiar (USF) de Válega.

O presidente da Câmara Municipal de Ovar disse, na última reunião do executivo, que a obra do bloco operatório do hospital de Ovar pode estar em risco. O autarca lembra que já em julho de 2018 o projecto fora dado como “completamente concluído”, mas referiu que, na distribuição dos fundos comunitários para intervenções em unidades de saúde da região Centro, “já foi alocado um pacote de 30 milhões de euros para os hospitais de Coimbra, Aveiro e Viseu, mas, infelizmente, ele não contempla verba nenhuma para o de Ovar”.

Salvador Malheiro defende que a obra é “muito importante para a região, porque o estado do actual bloco operatório limita muito a ação do hospital, o que põe em causa a sua sustentabilidade futura e a qualidade do serviço prestado à população”.

O eleito socialista Vitor Amaral expressou o seu “profundo desagrado”, “não apenas porque nos foi publicamente garantida a execução dessa obra por um elemento do governo mas, sobretudo, pelo facto dessa obra ser há muito prometida e ser indispensável para que o Hospital de Ovar possa prestar um bom serviço à população”.

A administração do Hospital Francisco Zagalo não comenta a situação do bloco operatório nem das respectivas obras de beneficiação. Já o Ministério da Saúde refere que a obra terá “um custo total de 1,2 milhões de euros”, mas não respondeu a várias questões colocadas pela agência Lusa, nomeadamente o prazo para o arranque da empreitada.

“A Administração Central do Sistema de Saúde, em articulação com o Hospital Francisco Zagalo e a Administração Regional de Saúde do Centro, têm estado a analisar o projecto de forma a garantir o cumprimento das regras técnicas aplicáveis”, concluiu o Ministério.

  • Actualizada no dia 12.06 às 14h30.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta