Opinião

On se lance! – Henrique Gomes

O Tour terá de mostrar o seu melhor, de se desnudar, para merecer algumas atenção até ao dia 10: o Euro 2016 de futebol irá concentrar todas as atenções até à final de Paris.

O espaço natural do ciclismo, julho, à força de pontapés , foi ocupado por utilizadores de relva sintética e de realizadores de empates técnicos e prolongadores de sofrimento.

Quanto ao sofrimento, é um sentimento que o pelotão do Tour não estranha nem consegue afastar. Aliás, faz parte integrante das três semanas de competição e do currículo de muitos ciclistas.
Já as táticas defensivas e os empatas tempo ou resultados programados resultam sempre em lugares secundários no Tour.

O Tour irá ter o arranque mais discreto dos últimos anos, futebol oblige, e a participação portuguesa mais reduzida dos últimos anos: Rui Costa e Nelson Oliveira.

Serão os nossos pontas de lança, sendo que a Rui caberão missões mais atacantes, enquanto a Nelson estão reservadas missões mais de apoio na hercúlea tarefa de promover a líder o minúsculo Quintana.

O Tour irá percorrer e mostrar belas e tentadoras paisagens, espaços amplos, convívio entre adeptos com passaporte para uma competição sem fronteiras, praticada em estádio aberto e natural.

Hoje mesmo, o Tour se lançará rumo ao sul, aproximando-se tentadoramente de nós.

Henrique Gomes
(02.07.2016)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta