Quarta-feira , 22 Novembro 2017
Ler também:
PCP: Apurar responsabilidades de descargas ilegais na rede de águas pluviais

PCP: Apurar responsabilidades de descargas ilegais na rede de águas pluviais

Voltou a repetir-se, no passado dia 31 de março, descarga poluente com proporções de desastre ambiental.

Segundo o que foi apurado, a descarga foi visível no centro de Ovar, por volta das 11 horas da manhã, e depois do alerta dado pelos ovarenses, a Divisão de Ambiente da Câmara Municipal de Ovar efectuou diligências no sentido de encontrar o foco de contaminação da linha de água.

Diversos indícios foram encontrados na Ribeira de São João, levando a pensar que o efluente tenha partido de um colector de águas pluviais no Lugar do Temido em São João de Ovar. O cheiro era nauseabundo, segundo alguns testemunhos com odor a produtos químicos, a água adquiriu tonalidades cinzentas e centenas peixes surgiram mortos à tona da água.

“Acontecimentos destes, e ainda mais desta magnitude, não podem voltar a acontecer, pois são evidentes os prejuízos ambientais, na fauna sobretudo a piscícola, nos solos, no ar, na água dos rios, dos lençóis freáticos e fontes com claras consequências para a saúde pública”, lembrou o deputado da CDU, Miguel Jeri.

Ao mesmo tempo, desconhece-se neste momento qualquer feedback do Serviço de Protecção da Natureza e Ambiente (SEPNA/GNR), a quem foi dado oportunamente o alerta. Acresce o facto de serem cada vez mais comuns situações em que os denunciantes não recebem uma resposta sobre o resultado da averiguação das situações expostas.

Deixe uma resposta