Sem categoria

PCP questiona Parlamento Europeu sobre apoios para prevenir erosão

Inês Zuber faz notar que a erosão costeira em Ovar "tem registado um agravamento sem precedentes nos últimos anos" e que os efeitos da tempestade Hércules, no actual inverno, provocaram "enormes estragos nas casas e no comércio local do Furadouro"
A eurodeputada do PCP Inês Zuber questionou o Parlamento Europeu sobre o tipo de apoios disponíveis para combater a erosão costeira nas praias de Cortegaça e Furadouro, em Ovar, dado o "agravamento sem precedentes" no desgaste da costa.

Em comunicado enviado à nossa redacção, o partido informa que a 05 de fevereiro perguntou à Comissão Europeia "que apoios estão disponíveis para investigação e estudos sobre as soluções técnicas e científicas a aplicar no caso em apreço", e também quais os que existem "para a realização de obras e intervenções concretas".

Procurando também saber se já foram mobilizados fundos comunitários para intervenções nessas zonas, Inês Zuber faz notar que a erosão costeira em Ovar "tem registado um agravamento sem precedentes nos últimos anos" e que os efeitos da tempestade Hércules, no atual inverno, provocaram "enormes estragos nas casas e no comércio local do Furadouro".

"Esta situação não é nova e é, aliás, bastante conhecida", realça a eurodeputada, acrescentando que “a zona litoral do concelho de Ovar – Esmoriz, Cortegaça, Furadouro, Maceda – é das mais afetadas pela erosão da zona costeira, tendo o mar já avançado cerca de 100 metros em 50 anos, na Praia do Furadouro".

Referindo que além de danos materiais há a considerar ainda a destruição de habitats naturais "de enorme valor ambiental", Inês Zuber defende que se têm revelado "ineficazes" as intervenções mais imediatas no local, que serviram apenas para "minimizar alguns estragos no momento em que acontecem os acidentes e se pautaram sobretudo pela construção de esporões, molhes, paredões e enrocamentos".

Para a eurodeputada do PCP, do que o litoral de Ovar precisa "é de uma resposta integrada, ou seja, uma intervenção que impeça ou diminua os riscos para a população, que não se limite a arranjar o que foi destruído, mas que impeça a repetição dos danos, ano após ano".

Artigos relacionados

Deixe uma resposta