SaúdeSlider

“Por um SNS mais humanizado”

Hospital de Ovar assina compromisso

[themoneytizer id=”16574-1″]

O Hospital Dr. Francisco Zagalo – Ovar (HFZ-Ovar), que assinou esta quarta-feira o compromisso para a humanização, tem três meses para definir um plano de acção com medidas concretas que devem abranger a globalidade dos serviços e profissionais de saúde.

“Estamos convictos de que esta é uma iniciativa que vai valorizar as diferentes dimensões da prestação de cuidados de saúde de qualidade, tal como, de resto, preconiza o Ministério da Saúde”, disse o presidente do Conselho Directivo deste equipamento hospitalar, Luís Miguel Ferreira.

“O plano – para o qual já estamos a trabalhar – permitirá implementar no futuro projectos dedicados à humanização dos cuidados prestados, acrescentando valor ao nosso serviço, orientado sempre pela linha estratégica da qualidade e transparência da relação humana entre utentes e profissionais”, salientou.

O HFZ-Ovar aderiu ao Compromisso para a Humanização Hospitalar, um programa desenvolvido pelo Grupo de Trabalho para a Humanização Hospitalar criado pela Coordenação para a Reforma do Serviço Nacional Saúde (SNS) na Área dos Cuidados de Saúde Hospitalares.

“O objectivo é implementar projectos dedicados à humanização que se centrem nas pessoas — utentes, cuidadores e profissionais de saúde — e que garantam o bom relacionamento interpessoal e interprofissional e o respeito por valores humanos”, salientou a ministra da Saúde, Marta Temido, que presidiu à cerimónia de assinatura do documento entre as unidades aderentes ao programa.

“Temos o dever de nos desassossegar e de não nos conformarmos porque o trabalho que temos de fazer de modernização do SNS não se compadece com um conformismo. Por isso, saibamos todos inconformarmo-nos com aquilo que não corre bem, sobretudo com aquilo que podemos fazer melhor”, frisou a governante.

Além de Marta Temido, a sessão “Compromisso para a humanização Hospitalar – Por um SNS mais humanizado”, que decorreu na quarta-feira em Vila Nova de Gaia, contou também com a presença da secretária de Estado da Saúde, Raquel Duarte.

Entre as 15 dimensões objectivas de humanização que o compromisso abrange constam a criação de estruturas orgânicas próprias e autónomas destinadas ao projecto de humanização dos cuidados de saúde e de condições logísticas que garantem a privacidade dos utentes nos espaços destinados à realização de meios complementares de diagnóstico, consulta externa, internamento e urgência.

A personalização do cuidar, devendo o doente ser tratado pelo nome que quer, é outro aspecto a ter em conta, assim como a colocação de sinalética de orientação adequada e actualizada dentro do hospital e soluções técnicas/informáticas e de conforto físico que evitem filas em pé e demoradas para atendimento.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta