CulturaSlider

Procissão secular que é um acto de penitência

As manifestações da Quaresma prosseguiram, esta quinta-feira, em Ovar, com a Procissão ‘Ecce Homo’ ou do Terro-terro.

A iluminação pública é apagada nas ruas por onde passa o cortejo religioso, sendo apenas visíveis pequenos pontos de luz nas magníficas Capelas dos Passos.

É assim a tradicional procissão nocturna de quinta-feira Santa em Ovar, incorporando elementos que trazem vestes grosseiras e escuras, transportando nas mãos matracas barulhentas e fogaréus que iluminam o percurso por onde vai passando a evocação do julgamento de Jesus.

Ao longo do percurso, muitas pessoas se aglomeraram para ver passar a imagem do Senhor ‘Ecce Homo’, também conhecido por Senhor da Cana Verde, devido à cana que a sua imagem, com o rosto carregado de dor, leva nas mãos. Nossa Senhora vem logo a trás e a fechar, o andor de Jesus crucificado que pára em frente de cada capela para ouvir o coro masculino do Orfeão de Ovar.

O bom tempo que se fez sentir durante o dia e a belíssima temperatura da noite, deixavam antever que esta seria uma das procissões mais concorridas dos últimos anos em contexto de Semana Santa. Assim não terá acontecido.

“A moldura humana presente na rua é que não faz justiça à beleza desta manifestação”, comentaram Albino Santos e esposa, de Aveiro, que acompanharam ontem de perto a tradição religiosa, pela primeira vez. De facto, o número de pessoas a assistir pareceu muito inferior em relação a outros anos, uma opinião repetida por diversas pessoas com quem conversámos ao longo da manifestação religiosa. Depois de vários anos de investimento na promoção das tradições religiosas que se reflectiam na visita de muitos turistas que deixavam divisas na cidade, uma das possíveis explicações poderá ter a ver com um eventual recuo nesse pormenor. O bom tempo também pode ter levado as pessoas para outras paragens.

Também já se tornou habitual esta procissão ser “apetecível” para os amantes da fotografia. Ontem não foi excepção. E se houve menos gente a assistir, ao invés, dava nas vistas o elevado número de câmaras fotográficas que acompanharam o cortejo.

Este foi um dos pormenores que também chamou a atenção do casal aveirense. “Talvez regressemos amanhã para ver a outra procissão. Já nos disseram que é muito bonita”.

Esta 6.ª feira Santa, realiza-se a celebração da Paixão, às 19 horas, após o que, às 20h30, tem início a Procissão do Enterro do Senhor.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta