PolíticaSlider

PS: “Ovar Território de Desigualdades”

É com ironia, começando por utilizar um chavão usado pelo presidente do Município, que a concelhia do PS reage ao que aconteceu na última Assembleia Municipal.

“Salvador Malheiro provou mais uma vez não ser capaz de honrar a sua palavra”, dizem os socialistas, no contra-ataque. “A verdade é que hoje, e tal como no passado, as suas palavras não correspondem aos seus actos”.

“Sistematicamente em todos os eventos públicos apregoa a defesa da coesão territorial do concelho de Ovar, bem como afirma, insistentemente, que o Município de Ovar, tem 8 freguesias”.

Mas na passada sexta-feira, “tal como em todas as horas, assume decisões apenas para 5 freguesias e não faz nenhum acto digno da defesa dessas 8 freguesias de que tanto fala”.

“Afirma que Ovar tem 8 freguesias, mas definiu e decidiu maioritariamente, usando até o seu voto de qualidade no executivo camarário, suportado pela maioria PSD na Assembleia Municipal atribuir uma verba de até 50.000 euros para investimento a cada junta de freguesia do concelho”.

Mais uma vez, acusam, “o seu discurso não corresponde aos seus actos, pois decidiu atribuir esta verba apenas às freguesias de Maceda, Esmoriz, Cortegaça e Válega, Deixando para as freguesias de Ovar, S. João de Ovar, S. Vicente de Pereira Jusã e Arada a módica quantia de 12.500 Euros, que é o valor que caberá a cada uma destas com a divisão dos 50.000€ atribuídos à União de Freguesias”.

“A mesma postura, de mentira, tem a concelhia do PSD Ovar, que em 6 de junho afirmava apresentar candidatos às 8 freguesias do concelho, mas que hoje aprova atribuições financeiras a apenas 5 delas”.

A União de Freguesias, que tem mais de 50% da área e da população do concelho, é, para o PS, “muito mais do que uma só” autarquia ou Junta, é um conjunto de 4 freguesias, respeitadas como tal, obrigadas, por Lei do PSD a estarem agregadas e que têm sentido o respeito dos autarcas do PS neste seu desejo de voltaram a serem 4 autarquias distintas”.

Foi este o motivo que “nos leva a votar contra tal proposta, não por discordar dos princípios em atribuir mais dinheiro às freguesias para fazer face às suas competências, mas sim, por se fazer uma distribuição desigual, a pedido, com o intuito de prejudicar as populações destas 4 freguesias”.

Esta decisão do PSD, sustenta o PS, “ataca o princípio da igualdade da coesão territorial, do reforço da solidariedade e da melhoria da qualidade de toda a população. Princípios estes, desde sempre respeitados, defendidos e praticados por todos os autarcas na história deste Município”.

A atribuição destes 50.000 euros é “descriminação e penalização aos 27.000 habitantes das freguesias de Ovar, S. João de Ovar, S. Vicente de Pereira e Arada”.

Uma palavra final é reservada para a postura dos presidentes de Junta de Freguesia de Válega, Jaime Almeida, “homem de princípios, que se bateu pela justiça no tratamento de todas as juntas, sendo o único que se mostrou solidário com o Presidente da União de Freguesias, Bruno Oliveira e a sua população”.

“Lamentável” é como consideram a postura dos restantes presidentes de junta do PSD, “incapazes de se solidarizarem com os seus pares, facto que ocorre pela primeira vez no concelho de Ovar”.

E remata: “Para o Partido Socialista o concelho de Ovar tem 5 autarquias mas 8 freguesias, para o Presidente da Câmara e para o PSD Ovar há apenas 5 autarquias e 5 freguesias”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta