Sexta-feira , 26 Maio 2017
PSD: António Topa exige reabilitação da EN 109, com projectos aprovados

PSD: António Topa exige reabilitação da EN 109, com projectos aprovados

O deputado do PSD António Topa defendeu esta quarta-feira na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas a urgência da reabilitação das estradas nacionais 223 e 109. Falando numa audição ao ministro do Planeamento e das Infraestruturas, o parlamentar social democrata recordou não haver problemas relacionados com os projectos em ambos os casos, pelo que disse não entender por que razão as obras não avançam.

“Aqui, não há problemas de projeto. A obra foi a concurso em 2015 com o governo PSD/CDS, e até se sabia qual o empreiteiro com melhor classificação para que a obra fosse adjudicada. Estamos em 2017 e a obra não anda” – vincou António Topa, referindo-se à Estrada Nacional 223, concretamente à ligação do nó de Arrifana do IC2 ao nó da A1 de Santa Maria da Feira.

Lembrando que o troço serve uma região com 300 mil habitantes, o deputado aveirense deu a beneficiação como “urgente para uma região muito industrializada”, até porque trata-se de “seis quilómetros com tráfego muito elevado, talvez dos mais elevados do país, principalmente em determinados horários”.

“Não se percebe por que um investimento de dois milhões de euros, com tudo pronto, não anda para a frente” – atirou António Topa, confrontando o ministro sobre para quando prevê a execução da obra.

Na sua intervenção na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, António Topa abordou, igualmente, a Estrada Nacional 109 entre Espinho e Angeja, para recordar que “no ano passado, só no concelho de Ovar, morreram quatro pessoas atropeladas”. Para o deputado do PSD, “trata-se de uma via extraordinariamente perigosa, com elevado tráfego, servindo zonas altamente industrializadas, com carga de tráfego muito elevada”.

O parlamentar social democrata sublinhou que “os cortes nestas vias não deveriam ser feitos, porque aquelas são fundamentais para a economia do país, numa região que contribui muito fortemente para o PIB”, enfatizando que “estes cortes também implicam fazer cortes na vida das pessoas, o que aconteceu no ano passado e este ano deverá continuar”.

“São obras com projecto, que podem andar, para esse mundo maravilhoso das realizações dos governos do PS, não se percebendo porque não andam para a frente” – ironizou António Topa, que concluiu a sua intervenção com uma referência à prometida beneficiação da ferrovia entre Ovar e Vila Nova de Gaia, questionando o governante sobre a sua execução.

Deixe uma resposta