Opinião

Reclamação Festas do Mar (Furadouro) – Correio do Leitor

Venho por este meio denunciar e demonstrar o meu desagrado pela forma como foram organizadas as Festas do Mar, na Praia do Furadouro nos passados dias 7, 8, 9 e 10 de Setembro.

Compreendo perfeitamente que a organização deste tipo de eventos, a par com a manutenção das tradições da nossa terra é vital, criando unidade e momentos de descompressão que todos necessitam e certamente apreciem.

Compreendo que seja dado maior relevo ao fim-de-semana (particularmente a Sexta-Feira e Sábado, à noite), excedendo-se as horas de silêncio consagradas na lei, permitindo actividades como “queimar” dinheiro no fogo-de-artifício da meia-noite, tão ao gosto dos portugueses. Apesar de não apreciar, reconheço que gostos não se discutem e cada um tem os seus.

O que não compreendo é como é possível permitirem que, na noite de Sábado para Domingo, após 20 minutos de fogo-de-artifício, que terminou às 00:25, tenha sido iniciado um concerto musical que durou até às 02:00, não tendo tido (nos vários momentos em que observei o espaço) mais de 20 pessoas a assistir.

Assim como não compreendo que, após este concerto, já de si anacrónico, tenha a música continuado nos altifalantes, para já não falar dos foguetes às 09:00 da manhã, não permitindo sequer sete horas de descanso a quem tem responsabilidades, crianças pequenas, pessoas doentes, entre outros.

Compreendo ainda menos como é possível que, após um fim-de semana de abusos, nas noites de Domingo e Segunda-Feira, tenha havido concertos que duraram até às 00:40, mas uma vez, seguidos de música em altifalantes. E mais uma vez, para meia-dúzia de pessoas.

Creio que, se por um lado estas festas se enquadram no interesse público e, mais do que isso, perpetuam uma tradição que deve ser mantida, por outro, não podem por em causa a saúde pública, privando jovens, adultos e idosos do necessário repouso ou a produtividade das pessoas nos respectivos empregos, já de si famosa por ser baixa em Portugal.

E não creio que seja isto que venha a trazer mais votos, já que me parece que, por exemplo, reparar o estado do piso da Avenida dos Emigrantes, entre muitas outras ruas da Praia do Furadouro ou Ovar, poderá trazer muitos mais dividendos nessa área.

Assim, solicito que considerem estes pontos na organização das festas do próximo, para que todos possamos disfrutar das mesmas em pleno. Penso que se pode perfeitamente ultrapassar ligeiramente as horas de silêncio, mas não há nada que justifique ultrapassar as 23:00 quando, no dia seguinte, é dia de semana e de trabalho para a maioria das pessoas.

Aproveito ainda para chamar a atenção para os estacionamentos abusivos em cima dos passeios, particularmente junto à entrada de garagens dificultando e, às vezes, impossibilitando a sua utilização.
Estes abusos acontecem durante todo o ano, sem que a PSP pouco ou nada faça, mas são particularmente notórios nestas festas.

Ciente de que a falta de lugares de estacionamento é gritante, percebo que seja permitido o estacionamento em alguns locais normalmente proibidos, mas respeitem por favor as garagens e respectivos acessos, permitindo a saída de viaturas numa emergência, por exemplo, ou num caso de assistência, pois há pessoas que se chamadas, têm que sair e prestar assistência nas fábricas onde trabalham, podendo estas parar a laboração porque o técnico não conseguiu chegar ao local em tempo útil.

Cumprimentos,
José Alves

Artigos relacionados

Deixe uma resposta