CulturaSlider

Rodrigo Leão canta os parabéns no Furadouro

Rodrigo Leão é o primeiro a entrar em cena, do programa “Animar as Praias”, organizado pela Câmara Municipal de Ovar. No palco instalado na Avenida Central do Furadouro, o ex-Sétima Legião prossegue a comemoração dos 25 anos de carreira a solo, numa efeméride que decidiu levar aos quatro cantos do país.

“Sinto-me como há 25 anos, a tentar procurar melodias, harmonias, às vezes com grande sofrimento, pois nem sempre aparece a inspiração”, diz o compositor, referindo também o “importante trabalho” da equipa de produção e dos músicos com quem trabalha – os músicos, com quem se sente mais perto.

Dono de uma das mais importantes discografias do nosso país, Rodrigo Leão comemora o 25º aniversário de uma carreira a solo que o levou ao reconhecimento global. Foi em 1993 que Rodrigo, então ainda parte integrante dos Madredeus, editou o seu primeiro trabalho em nome próprio: “Ave Mundi Luminar” tornou-se num sucesso inesperado e o resto, como se costuma dizer, é história.

Nos 25 anos que decorreram desde então, a par de álbuns que chegaram ao 1º lugar das tabelas de vendas em Portugal, várias gravações suas viram edição internacional em marcas tão prestigiadas como a Deutsche Grammophon ou a Sony Classical.

Explorando as múltiplas possibilidades da composição, entre o popular e o erudito, o electrónico e o orquestral, o seu nome é citado ao lado de referências como Ryuichi Sakamoto ou Ludovico Einaudi. Escreveu bandas-sonoras para filmes tão diferentes como a comédia de sucesso “A Gaiola Dourada”, o drama vencedor de prémios, “O Mordomo”, a série televisiva “Portugal – Um Retrato Social” ou o documentário sobre os anos 1960, “No Intenso Agora”.

Nas suas canções, colaborou com artistas como Beth Gibbons dos Portishead, Adriana Calcanhotto, Neil Hannon dos Divine Comedy, Scott Matthew, Rui Reininho dos GNR, Joan as Police Woman, Stuart Staples dos Tindersticks ou Lula Pena.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta