CulturaSlider

“Tudo se passa em torno da Casa do Marinheiro”

No tempo de Egas Moniz, a Quinta do Marinheiro era uma festa. Sempre que ele chegava a Avanca para as férias de verão, a quinta ganhava vida e as atividades culturais e de lazer sucediam-se. É esse lado carismático da personalidade do cientista que inspira o evento “Há Festa na Quinta”. Entre 14 a 17 de julho, em comemoração do 48º aniversário da abertura da Casa-Museu Egas Moniz, celebra-se o legado que o único Prémio Nobel português da área das ciências fez questão de deixar à sua terra.

Renovando o convite a toda a população para que visite a casa onde o cientista viveu a sua infância e passava as suas férias, abrem-se os portões da Quinta do Marinheiro para um conjunto de actividades relacionadas com a valorização da história local, assim como do património cultural, com a sua visitação e, em especial, com o usufruto e vivência dos espaços naturais.

“Há Festa na Quinta” arranca a 14 de julho, dia de aniversário da Casa-Museu Egas Moniz, que abriu ao público em 1968 conforme desejo expresso do professor e da sua mulher, Dona Elvira, podendo os interessados usufruir de visitas gratuitas ao espaço museológico. Até dia 17, diferentes espaços da Quinta do Marinheiro revelam-se através de um conjunto de iniciativas que poderiam ter acontecido no tempo do génio nascido em Avanca.

As visitas guiadas “Recantos do Marinheiro” e a antevisão do Festival de Cinema Avanca 2016 são as propostas para o dia 15, sexta-feira. O dia seguinte, sábado, começa com o workshop Aromas do Marinheiro (10h) e mergulha no romântico lago que o Rio Gonde alimenta, com atividades aquáticas (dias 16 e 17: canoagem entre as 14h e as 17h; Stand Up Paddle – Yoga, entre as 17h e as 19h), aproximando a quinta ao tempo de Egas Moniz, que utilizava constantemente o lago para os seus passeios de barco em família, primeiro com os irmãos e mais tarde com os sobrinhos-netos.

E é ali que hoje se inicia o Percurso BioRia do Rio Gonde. O trajeto de cerca de 3,5km, que se pode fazer a pé em hora e meia, percorre as margens do rio com a típica vegetação ripícola, os moinhos de água, os pinhais e eucaliptais, até à Ribeira do Mourão marginada pelo caniçal. Essa ponte que liga as linhas de água é reforçada nesta primeira edição do “Há Festa na Quinta” havendo a oportunidade de passear de barco moliceiro na ribeira (dias 16 e 17, 16h).

Neste percurso é incontornável a passagem pelos Moinhos de Meias, localizados no fundo da quinta, entretanto recuperados pela Câmara Municipal e visitáveis, evocando a memória do moleiro, que transformava cereais em farinha. A demonstração da atividade do moinho está reservada para a tarde de sábado (dia 16, 14h-17h). Na mesma tarde, o visitante pode optar por fazer compotas de Abóbora e Pera (workshop às 15h) ou assistir à exibição de Aves de Rapina (15h).

A partir das 22h, haverá espaço para uma sessão de astronomia noturna no âmbito do programa nacional “Ciência Viva”, para espectáculo com o grupo de música tradicional A Par d’ilhós, terminando a noite com o baile folk animado pelos Bailómondo. Domingo, dia 17, continua-se em modo de dança, na Aula de Zumba, às 11h. Haverá demonstração de Jogos Tradicionais (14h-17h30), de Ginástica Rítmica e Dança (17h) e um espectáculo dedicado aos mais novos com o “Palhaço Sorriso” (18h).

Provavelmente, se Egas Moniz estivesse vivo, proporcionaria uma festa como esta aos seus conterrâneos como lhe era característico.

“…Tudo se passa em torno da casa do Marinheiro…donde a família provém. Ali todos se juntavam em dias festivos; templo de confraternização, amizade e harmonia que sempre viveu a minha gente.”

Egas Moniz, “A Nossa Casa”, 1950

Há Festa na Quinta [programa] Quinta, 14
Visitas gratuitas à Casa Museu Egas Moniz

Sexta, 15
10h00 e 14h30 – Recantos do Marinheiro
22h00 – Cinema ao Ar Livre (antevisão do Festival Avanca 2016)

Sábado, 16
10h00 – Workshop Aromas do Marinheiro: Colheita, secagem e armazenamento de plantas aromáticas e medicinais
Durante a tarde – Insufláveis
14h00 ~ 17h00 – Canoagem
14h00 ~ 17h00 – Visitas guiadas e demonstração da atividade no Moinho de Meias
15h00 – Workshop de compotas: Abóbora e Pêra
15h00 – Exibição de Aves de Rapina
16h00 – Passeio de Moliceiro (Ribeira do Mourão. Máx. 18 pessoas)
17h00 ~ 19h00 – Stand Up Paddle – Yoga
22h00 – Astronomia no Marinheiro (programa nacional Ciência Viva)
22h00 Espetáculo Musical com A Par d’ilhós | Baile Folk com Bailómondo

Domingo, 17
Todo o dia – Insufláveis
11h00 – Aula Zumba
14h00 ~ 17h00 – Canoagem
14h00 ~ 17h30 – Demonstração de Jogos Tradicionais (A.C.R.A.P.)
16h00 – Passeio de Moliceiro (Ribeira do Mourão. Máx. 18 pessoas)
17h00 ~ 19h00 – Stand Up Paddle Yoga
17h00 – Demonstração de Ginástica Rítmica e Dança (Espaço Saúde em Vida e Cenap)
18h00 – Espectáculo “Palhaço Sorriso”

Os Workshops, o Stand Up Paddle, o Passeio de Moliceiro e os Recantos do Marinheiro obrigam a inscrição por email museuegasmoniz@cm-estarreja.pt até ao dia 13 de julho.

Nota histórica

Egas Moniz, Prémio Nobel da Medicina em 1949, quis, em testamento, que a sua casa, bem como a vizinha Quinta do Marinheiro, fossem destinadas a Casa-Museu. Nesta casa nasceram os seus antepassados e nela nasceu o cientista.
Para a salvar da ruína mandou-a reconstruir em 1915 segundo um projecto do arquitecto Ernesto Korrodi. Hoje é semelhante às antigas casas solarengas do século XVIII, onde se destaca o estilo Arte Nova. A Casa-Museu foi instituída em 1968.

Manteve-se o ambiente e os objectos quotidianos do tempo do professor, para além das suas colecções de porcelanas de Sèvres e da Companhia das Índias, de pinturas de José Malhoa ou Abel Salazar. Como emérito coleccionador que era, com o seu bom gosto, Egas Moniz conseguiu ao longo da sua vida adquirir belíssimas peças que passam por inúmeras colecções de mobiliário, porcelana, pintura, ourivesaria e tapeçaria. Ali se evoca os estudos que valeram a este médico português a distinção recebida da Academia de Estocolmo, sobre a angiografia cerebral e a leucotomia pré-frontal.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta