CarnavalSlider

Um desfile de delirar que recolheu a tempo e horas

canto certo

A chuva ainda ameaçou mas ninguém arredou pé numa tarde de domingo que se compôs e satisfez os muitos milhares de espectadores que tiveram a sorte de conseguir um bilhete para assistir  ao grande corso do Carnaval de Ovar.

A escola de samba Costa de Prata abriu o cortejo, confirmando os créditos que tinha deixado na noite de sábado. A “Celebração da Vida” voltou a encher a avenida numa festa contagiante. Os Condores vieram a seguir, de pala no olho e espada na mão, no tema “Pirataria só aos nossos bolsos”.

Os levados do Diabo venderam sonhos na avenida, mas também havia pesadelos, as Palhacinhas com “2 em 1”, de um lado palhacinhas e do outro rainhas do enrudo, e os 50 anos dos Pinguins não deixaram créditos por mãos alheias e homenagearam os fundadores com uma varridela, e a seguir os Garimpeiros voaram nas suas cegonhas que trazem os bebés de Paris.

A Charanguinha espalhou a magia do Walt Disney na avenida, logo seguidos das freiras dos Catitas cujas preces foram ouvidas para a tarde se compor, os Vampiros homenagearam o Pão de Ló “pitinho” de Ovar, e as Melindrosas, que também assinalam meio século de altos voos com o Peter Pan.

Os Pindéricus mudaram de vida com uma homenagem ao filme de Paulo Rocha rodado no Furadouro, Mudar de Vida, os Xaxas levaram as bolas deles num tributo aos palhaços acrobatas do circo, e atrás a escola de samba Juventude Vareira a “Armar um 31”.

A dar tacadas de mestre no bilhar, os Zuzucas, e a seguir os Marroquinos não passaram frio, as Barulhentas estavam “Encantadas” e os Marados recriaram a última ceia com o “Manequim Challenge” pelo meio.

A Volta a Portugal em bicicleta dos Não Precisa, a escola de Samba dos Kan-kans voltou a surpreender com “Rio, Cidade maravilhosa”, os Pierrots a fazer “Birdwatching”, a “Parada” dos Bailarinos com o chafariz do Neptuno, os Minimos dos Hippies e as suas bandas Rock, as Joanas do Arco da Velha, com o novo ano chinês e as Carrucas fecharam o cortejo “À distância de uma Milha”. O casal Real fechou com chave dourada.

“É nesta diversidade que reside um dos trunfos do nosso carnaval”, sublinhou Alexandre Rosas, prometendo novo grande corso para terça-feira.

O cortejo – que contou com a presença de Pedro Machado, presidente da Região de Turismo do Centro -, fechou às 18 horas, toda a gente viu e todos elogiaram a organização do corso carnavalesco de Ovar que voltou a provar porque é um dos melhores de Portugal e da Europa.

Max

Artigos relacionados

Deixe uma resposta