LocalSlider

Válega: Apoio para obra já pronta em 2011 vai financiar arquivo

A Câmara de Ovar atribuiu à Fábrica da Igreja de Válega um “apoio extraordinário” de 38.000 euros que, por ser relativo a obras já concluídas em 2011, será agora aplicado na criação de um arquivo histórico paroquial.

Em causa está uma verba destinada a cofinanciar as intervenções que, entre 2006 e 2011, permitiram requalificar aquele que é considerado um dos mais emblemáticos exemplos patrimoniais do concelho conhecido como “museu vivo do azulejo”.

Bernardino Frutuosa, presidente da Fábrica da Igreja Paroquial de Válega, admitiu hoje à Lusa, contudo, que “já ninguém contava com esse dinheiro”, cuja atribuição só foi aprovada a semana passada em reunião do Executivo municipal.

“É uma grande novidade que estamos a receber”, declarou. “A Câmara anterior andou sempre a alimentar-nos a esperança, mas acabou por nunca se chegar à frente com verba nenhuma e já não contávamos vir a receber nada”, revela.

O que o atual Executivo aprovou foi um “apoio extraordinário” no valor de 20% dos 190.000 euros gastos nas obras, que abrangeram a igreja e o respetivo adro.

Essa comparticipação foi justificada pelo que fonte da autarquia define como as “características ímpares” do edifício em termos azulejares: os painéis são policromáticos e revestem tanto o exterior como o interior do templo, retratando diversos episódios bíblicos e passagens das Escrituras

Concluídas que já foram, no entanto, as obras destinadas a melhorar as condições de preservação desses azulejos, Bernardino Frutuosa anuncia que os 38.000 euros vão “ajudar muito” noutra obra que a Fábrica tem em curso graças a donativos da população.

“Vamos aplicar esse dinheiro no Arquivo Paroquial que está a ser criado em frente à Igreja”, explica. “Já guardávamos peças e paramentos antigos na Casa do Senhor dos Passos, que é contígua à Igreja, mas essa sala já não conseguia comportar tanta coisa e decidimos mudar tudo para o edifício que um benemérito particular nos cedeu para isso”, acrescenta.

O objetivo da Fábrica é reunir no mesmo local todo o espólio religioso da paróquia de Válega, dispondo-o como “um museu que possa ser visitado pelo público gratuitamente”.

“Há peças muito valiosas sobre a história da paróquia e queremos guardá-las em condições, para que possam durar muitos mais anos”, defende Bernardino Frutuosa. “A nossa igreja tem um património muito rico, é um ponto muito visitado do roteiro turístico do azulejo e achámos que um arquivo destes ficava bem aqui”, continua.

A adaptação do espaço que ficou disponível para esse efeito deverá custar uns 40.000 euros e o presidente da Fábrica realça que o subsídio da autarquia é, nesse contexto, “uma grande surpresa, que vai dar muito jeito”.

“Válega esteve muitos anos no esquecimento enquanto as freguesias do Norte do concelho foram privilegiadas, mas ainda bem que esta Câmara é mais recetiva e lá se lembrou de nós”, conclui.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta