LocalSlider

Válega: Cortejo etnográfico de volta dez anos depois

As ruas de Válega encheram-se, este domingo, uma vez mais, de história e tradição perante o olhar de centenas de pessoas que assistiram à recriação histórica de episódios da vida quotidiana e rural da região, tal como sucedia nos séculos XIX e XX.

O executivo da Junta de Freguesia de Válega felicitou já a Comissão de Festas em Honra de Nossa Senhora do Amparo que integrou, na programação dos festejos deste ano, o cortejo etnográfico que não se realizava há 10 anos.

As felicitações estenderam-se ao Grupo de Folclore da Casa do Povo de Válega e aos habitantes dos lugares da freguesia de Válega que recriaram os episódios e ornamentaram os carros “alegóricos”, revelando “união, labor, brio e muito bairrismo em prol da comunidade valeguense”.

A propósito da festa, Vitor Amaral, presidente da Assembleia de Freguesia de Válega, recorda que esta “é uma terra de emigrantes, espalhados por vários países do mundo”. “Todos eles partiram com a esperança de regressarem a este cantinho maravilhoso e pacato, de gente humilde mas trabalhadora”, salientando que “sorte tiveram os países de acolhimento que viram enriquecido o seu património humano, que é o mais valioso, com os nossos conterrâneos”.

“Se a vontade de regressar vai encontrando entraves, quer porque os filhos crescem e lançam raízes naqueles países, quer porque ainda não estão reunidas condições de estabilidade”, o eleito, que participou na festa do emigrante organizada pela associação dos emigrantes local, frisa que “grande parte não deixa de visitar a terra, a família e os amigos nesta altura, participando e vivendo como ninguém nas festas da padroeira de Válega. Sejam bem vindos e tenham boas férias”. E termina: “Válega fica honrada e enaltecida com a presença dos seus emigrantes”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta