Empresas

“A automação inteligente e o machine learning vieram para ficar”

Com crescimento orgânico e também algumas fusões e aquisições pelo meio, são 60 anos dedicados à arte dos sistemas de racking até porque, com mais ou menos automação, não há armazém ou centro logístico sem os mesmos. Falamos da Storax, que passou este ano a integrar o grupo Avery, e que como nos explicou Miguel Ângelo Santos, Head of Sales and Marketing da Storax, hoje é uma empresa que vai muito para além do aço.

SCMagazine – 60 anos de dedicação à arte dos sistemas de rack tornaram a Storax um nome incontornável quando se pensa em sistemas de armazenagem. Num momento de disrupção como o actual, o que significa e como encaram o “mundo 4.0”?

Miguel Ângelo Santos – Em boa verdade podemos afirmar que o mundo das estruturas, nosso core business, não tem mudado muito nos últimos 60 anos. A descoberta do sistema de cantoneira perfurada e do sistema de conectar vigas e pilares de forma simples, constituíram a grande disrupção, e a Storax esteve na linha da frente e continua a estar. Com a entrada do novo ano, a Storax volta a encontrar novos caminhos para um negócio 1.0, tornando-o de facto atractivo e inteligente, com pessoas capazes de inovar e encontrando a competitividade certa para estruturas das soluções 4.0 dos seus clientes. A nossa forma de inteligência artificial é ao nível dos nossos processos. A forma como ajudamos os nossos clientes finais e integradores a alcançarem o “mundo 4.0”, vai continuar a passar pela constante melhoria dos nossos produtos/soluções e dos nossos serviços. A automação inteligente e o machine learning vieram para ficar. (Ler entrevista completa in Supply Chain)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta