LocalSlider

Assaltante em série (outra vez) detido por populares

O alegado assaltante de uma série de estabelecimentos comerciais do centro da cidade de Ovar foi esta tarde novamente capturado e retido por populares até à chegada da PSP.

Desta vez, estaria a preparar-se para assaltar um gabinete de engenharia civil, na rua João de Deus, quando foi surpreendido pelo proprietário. Após uma fuga recambolesca, seria capturado por populares e entregue à PSP.

Nada de novo para este indivíduo, a quem é atribuída a alegada autoria de dezenas de pequenos furtos na cidade, nos últimos meses.

Em janeiro, já havia sido capturado por um popular, após ter furtado alguns haveres de casa de uma idosa, em Ovar. Conseguiu fugiu por uma janela, mas foi visto e acabou por ser perseguido por um homem de 31 anos, testemunha do ilícito.

Seria apanhado e retido até à chegada dos elementos da PSP de Ovar, junto ao Hospital Francisco Zagalo de Ovar que o encontrou na posse de 50,60 euros, 6 maços de tabaco, uma lanterna, uma navalha pequena, um telemóvel com o respectivo carregador e uma seringa.

O indivíduo, sem abrigo e consumidor compulsivo de heroína e cocaína, alegadamente recusa acompanhamento por técnicos da equipa de rua do programa “Dá a Volta”.

O mesmo indivíduo furtou dinheiro e tabaco do interior de um café e foi detido duas vezes pela PSP de Ovar, em flagrante delito, por furto, no interior de um armazém de vinhos, tendo sido submetido às medidas de coacção de Termo de Identidade e Residência e apresentações bissemanais na Esquadra de Ovar.

Na sequência de novo assalto, em finais de Janeiro, à retrosaria Mundo das Linhas, alegadamente pelo mesmo indivíduo, os comerciantes da zona juntaram-se a questionar a razão pela qual a justiça ainda não prendeu este assaltante, tirando-o da rua, sabendo que se encontra referenciado em dezenas de casos.

Segundo foi possível apurar, o suspeito já terá feito perto de duas dezenas de pequenos assaltos que, no total, não resultarão num milhar de euros, um valor insuficiente para o juiz decretar uma prisão preventiva.

Uma incorporação de todos os processos, incluindo os assaltos em que se tem envolvido recentemente, poderia levar o tribunal a ordenar a prisão preventiva no julgamento em que é arguido, o que ainda não se terá verificado.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta