LocalSlider

Associação de artesãos faz vestidos que mudam vidas

Projecto "Dress a Girl Around The World" veste e protege meninas africanas

[themoneytizer id=”16574-1″]

A Associação de Artesãos de Ovar enviou, este mês, 88 vestidos de menina e 38 calções de menino para a sede do projecto “Dress a Gril Around the World”, destinados a crianças carenciadas em África. A associação vareira diz que estas ofertas podem fazer a diferença porque são o “fruto da generosidade de quem ofereceu tecidos e cuequinhas e das mãos solidárias de quem os confeccionou” nos encontros mensais (workshops solidários) realizados na Casa do Artesão, na rua Dr. Nogueira de Almeida, n.º 14, no centro de Ovar.

As artesãs ficam sempre maravilhadas com a solidariedade dos vareiros quando toca a esta causa. Na sua página do Facebook, recordam que dias antes do envio, faltavam completar vestidos e calções para enviar para a “Dress A Gril”, nomeadamente, “cuequinhas de menina e menino” para completar o conjunto. “Quem puder colaborar por favor deixar na casa do artesão durante a hora de expediente”, era o pedido. Não demoraram a chegar e as roupas seguiram completas.

Os vestidos de menina levam uma etiqueta que possui um papel fundamental. Costurada em cada vestido em lugar visível, garante protecção da violência sexual contra elas. Acredita-se que os predadores não arriscam, ao pensar que as meninas são protegidas por uma ONG e afastam-se delas. Sendo meninas até aos 12 anos as principais destinatárias dos vestidos costurados pelas voluntárias do projecto “Dress a Girl Around the World” que, por viverem em comunidades muito pobres, são muitas vezes vítimas de agressão sexual.

Uma das principais missões do projecto fundado pela americana Rachel Eggum Cinader, em 2009, é precisamente proteger o corpo destas crianças. Além dos vestidos, as meninas recebem dentro de cada bolso umas cuecas. Ao lado dos vestidos, agora também já se fazem calções para os rapazes (shorts).

O projecto “Dress a Girl Around the World” já vestiu perto de dez mil meninas desfavorecidas de 12 países em África. A brasileira Vanessa Campos, 49 anos, é a embaixadora da organização em Portugal.

Vanessa conta que já se deslocou a África para proceder à entrega de muitos vestidos. “As meninas adoram, não param de sorrir e não querem tirá-los”. Além dos vestidos, as meninas recebem dentro de cada bolso umas cuecas. Vanessa explica que “não faz sentido mandar um vestido se elas não têm cuequinhas. Muitas nunca viram uma cuequinha na vida”. A embaixadora do “Dress a Girl Around The World” conta que é sempre uma emoção “a carinha das meninas quando vêem os vestidos”.

Aliás, para fazer prova da entrega, normalmente tira algumas fotos das meninas envergando os seus vestidos novos, felizes, rindo muito. “Da última vez, as meninas correram para dentro da escola após tirarmos a foto, pois pensavam que o vestido era só para foto”. “Ficaram imensamente felizes quando lhes dissemos que não, que era para elas, para sempre”. É por isso que é normal ver quem costura comover-se ao ouvir as histórias das entregas dos vestidos.

Mas há mais: a associação também colabora com a iniciativa “Polvo do Amor”, iniciativa que faz polvos de crochê para oferecer a bebés prematuros. O próximo worshop é já no dia 29 de setembro, às 14h30, ou então pasde peça Casa do Artesão para conhecer os trabalhos de Márcia Ribeiro, a artesã em destaque.

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta