LocalSlider

Câmara adquiriu o imóvel que integra o Aron Hakodesh

Património raro pode incluir Ovar na Rota da Judiaria

[themoneytizer id=”16574-1″]

 

O presidente da Câmara Municipal de Ovar, Salvador Malheiro, procedeu esta terça-feira à assinatura da escritura para aquisição do imóvel que integra o Aron Hakodesh, ou Ekhal, em São Vicente de Pereira, afirmando que estão agora reunidas as condições para desenvolver o trabalho que colocará Ovar na Rota da Judiaria.

Recorde-se ainda que a autarquia encetou as diligências necessárias para a classificação do complexo como Património Cultural de Interesse Municipal que agora se integrará na classificação da Direcção Geral do Património Cultural e cujo procedimento de classificação foi iniciado e publicado em Diário da República, a 20 de abril de 2017.

Também designada pelos judeus como “Aron Kodesh”, “Eikhal” ou “Ekhal” (sempre com base no termo hebraico para “arca sagrada” ou “armário da lei”) é um armário destinado à Tora judaica, peça considerada simbólica por guardar o pergaminho manuscrito que replica os textos na base do Judaísmo e é utilizado em todas as celebrações litúrgicas dessa comunidade religiosa.

No caso específico dos judeus de Ovar, o Aron Hakodesh, agora em processo de classificação, é um armário em pedra embutido na parede, está atribuído ao século XIV e integrava uma propriedade privada que a autarquia adquiriu por 125.000 euros, já com o propósito de preservar o património constante dos edifícios centenários ali existentes.

“Todos os especialistas chamados a pronunciar-se sobre este processo destacaram a grande raridade deste achado e, sobretudo nesta região do Litoral (…), também os seus significados e valor histórico e simbólico para a nossa cultura”, lê-se num documento da Secção do Património Arquitectónico e Arqueológico do Conselho Nacional de Cultura para o qual remete a edição do Diário da República.

Salvador Malheiro considera que “a aquisição deste equipamento e a futura classificação são um importante contributo para a valorização do nosso património histórico e religioso”. Além da recuperação deste património único no nosso território, que se encontra muito degradado, o objectivo é “incluir Ovar na Rota da Judiaria, contribuindo, também por esta via, para o desenvolvimento turístico e económico do concelho, atendendo ao valor patrimonial, cultural e histórico deste local.”

Artigos relacionados

Deixe uma resposta