Terça-feira , 12 Dezembro 2017
Ler também:
Câmara reservou imóvel para habitação social

Câmara reservou imóvel para habitação social

O caso do sem-abrigo encontrado morto num bloco de prédios inacabados chocou a cidade.

Localizado na Avenida D. Maria II, o imóvel onde se deu este caso situa-se perto do Hospital Dr. Francisco Zagalo, à face da Circular Sul, e pertence à Caixa Geral de Depósitos (CGD) depois da promotora imobiliária responsável pelo projecto ter falido há quase duas décadas.

O caso tem sido abordado por diversas vezes, nomeadamente na Assembleia Municipal. Sabe-se que há vários anos que os prédios deixados por acabar têm sido ocupados por sem-abrigo, motivando preocupações por parte da população.

Ciente do problema, Domingos Silva, vereador da Câmara Municipal de Ovar, confirma a existência de um pré-acordo para “a aquisição dos blocos, com o objectivo de os concluir e disponibilizar para habitação social”.

O facto da CGD ter estado muito tempo sem administração terá atrasado as negociações. Segundo o autarca, “a Câmara Municipal de Ovar apresentou uma proposta de aquisição e estamos à espera que a CGD se pronuncie”.

Vários promotores imobiliários têm manifestado interesse na aquisição dos imóveis abandonados que surgem no site respectivo com a indicação “reservado”, sinal de que ao Município caberá sempre a preferência.

Deixe uma resposta