SaúdeSlider

Centro Social e Paroquial de Maceda com unidade de hospitalização domiciliária

O o Centro Social e Paroquial São Pedro de Maceda celebrou esta quinta-feira um protocolo de cooperação com o Hospital Dr. Francisco Zagalo de Ovar (HFZ-Ovar), no sentido de beneficiar da hospitalização domiciliária para os seus utentes.

“Este é mais um passo importante no âmbito da hospitalização domiciliária, dando seguimento de compromisso público estabelecido entre o nosso hospital e o Ministério da Saúde em outubro de 2018”, afirmou o presidente do Conselho Directivo do HFZ-Ovar, Luís Miguel Ferreira.

Sublinhando que o acordo tem por objecto “a definição dos termos de cooperação entre as partes”, quanto à admissão de utentes daquele centro social na Unidade de Hospitalização Domiciliária, o mesmo responsável realçou a importância do serviço que “garante uma assistência contínua e que permite reduzir complicações e infecções hospitalares, além de permitir gerir melhor as camas disponíveis para o tratamento de doentes agudos e que precisam de internamento em contexto hospitalar”.

Luís Miguel Ferreira e o presidente da instituição, padre Florentino Fernandes de Sousa, assinaram aquele que é o primeiro protocolo de cooperação com uma instituição particular de solidariedade social (IPSS) no contexto do serviço de hospitalização domiciliária do HFZ-Ovar, lançado em junho de 2019.

A unidade disponibiliza uma equipa que garante a cobertura médica e de enfermagem, durante 24 horas, em regime de presença física e prevenção.

Para o director de serviço do Centro Social e Paroquial São Pedro de Maceda, Álvaro Pinto, “a celebração deste protocolo faz todo o sentido, sendo uma mais-valia para os cerca de 60 utentes da instituição que, caso precisem de internamento e cumpram os requisitos de admissão na hospitalização domiciliária, podem beneficiar deste serviço”.

O Centro Social e Paroquial São Pedro de Maceda é uma IPSS, criada em junho de 1981 pela iniciativa da Comissão da Fábrica da Igreja de Maceda e erecta canonicamente por decreto do Bispo da Diocese do Porto, em 23 de julho do mesmo ano.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta