LocalSlider

PJ deteve suspeitos de crimes de sequestro e roubo

Sete pessoas suspeitas da prática de vários crimes de sequestro e roubo sobre clientes de mulheres praticantes da atividade de prostituição de rua, em áreas públicas dos concelhos de Santa Maria da feira e de Ovar, foram ontem detidos numa ação policial desenvolvida no concelho de Vila Nova de Gaia.

A Polícia Judiciária, através da Diretoria do Norte, identificou e deteve quatro homens e três mulheres, todos eles integrando um grupo criminoso responsável pelo aliciamento para a prática de atos sexuais, em zonas florestais, no decurso dos quais as vítimas, todas do sexo masculino, acabavam surpreendidas por indivíduos encapuzados, que as manietavam e, regra geral, forçavam a entrar em viaturas automóveis, onde eram seguidamente roubadas e agredidas fisicamente, muitas das vezes com vista à revelação dos códigos ou senhas de cartões de débito e/ou crédito bancários.

Já na posse dos objetos roubados e sempre que estes incluíam os referidos cartões bancários, os autores apressavam-se a efetuar levantamentos em caixas ATM, assim como à compra de diverso material de desporto, sobretudo de marcas conhecidas, pequenos eletrodomésticos, material informático e outros objetos mais facilmente transacionáveis.

As detenções tiveram lugar na sequência de uma operação policial de largo alcance, que mobilizou mais de meia centena de funcionários de investigação criminal e que incluiu a realização de mais de uma dezena de buscas.

No decurso destas diligências e para além das referidas detenções, foi localizada e apreendida uma arma caçadeira, vários gorros e outros objetos utilizados no exercício daquela atividade criminosa, assim como inúmeros bens adquiridos com recurso aos mencionados cartões bancários.

Os detidos, todos sem ocupação laboral, com idades compreendidas entre os 16 e os 47 anos, alguns dos quais já possuidores de vastos antecedentes criminais pela prática dos mais diversos tipos de crime, mas onde pontificam essencialmente os crimes de sequestro, roubo, furto e lenocínio, foram presentes às competentes autoridades judiciárias, para efeitos de primeiro interrogatório judicial e submissão a adequadas medidas de coação.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta