CiclismoDesporto

Deuses do Larouco abençoam e Jóni Brandão segue de Amarelo

Jóni Brandão vestiu a Camisola Amarela da 81.ª Volta a Portugal Santander na 7.ª Etapa, disputada esta quinta-feira que mantém esta sexta-feira.

Foi entre chuva, nevoeiro, vento forte e frio que Jóni Brandão passou a comandar a classificação Geral da Volta a Portugal. Os 156,2 km de viagem entre Bragança e o Alto da Serra do Larouco, em Montalegre, receberam quase que duas corridas em simultâneo, sendo que uma estava a disputar a tirada e a outra a Geral, onde o líder da EFAPEL entrou a ganhar.

A primeira foi fruto de uma fuga, formada desde os 22 km por 12 unidades. A iniciativa chegou a ter mais de 10 segundos de vantagem sobre o pelotão e de lá sairia o vencedor do dia, Luís Gomes (Rádio Popular-Boavista).

A segunda corrida assistiu ao ataque de Jóni Brandão no grupo dos favoritos, a pouco mais de 1km da chegada, que disparou em solitário e chegou 03m35s depois do corte da meta pelo boavisteiro e os restantes 11 companheiros de fuga, conseguindo ganhar tempo aos adversários para vestir a Camisola Amarela.

“Estou muito satisfeito. É o concretizar de um sonho e agora para ser um sonho a sério é manter a Camisola Amarela até aos Aliados”, afirmou Jóni Brandão, visivelmente emocionado com esta conquista. A três etapas do final “está tudo em aberto. Os adversários estão muito perto e ainda há muita Volta a Portugal pela frente”, assumiu o chefe-de-fila da EFAPEL.

Já Rúben Pereira, director desportivo da EFAPEL, disse que “foi um dia muito positivo. Partimos com uma estratégia bem definida e sabíamos que era uma chegada propícia para reduzir a diferença para os adversários. A Camisola Amarela acaba por ser a recompensa por todo o trabalho da equipa EAFPEL ao longo desta Volta a Portugal. Nada está ganho, porque ainda falta muita corrida e a Volta a Portugal só termina, volto a repetir, no Porto”. E rematou: “A W52-FC Porto continua a ser a favorita, tem várias opções para discutir a Volta, mas nós, EFAPEL, continuamos com a mesma postura que temos tido até aqui”.

Hoje, a saída foi de Viana do Castelo rumo a Felgueiras, para terminar no Alto de Santa Quitéria. João Benta foi o mais forte na subida final, completando os 158 quilómetros de percurso iniciado em Viana do Castelo em 3:49.18 horas, com um segundo de avanço sobre Jóni Brandão e João Rodrigues (W52-FC Porto), primeiro e segundo da geral, que continuam separados por apenas um segundo. Joni Brandão manteve a amarela! A Volta está ao rubro!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta