LocalSlider

Empresa ofereceu dois empregos e família terá casa cedida por dois anos

A União das Juntas de Freguesia de Ovar convidou a família a visitar a cidade no passado fim-de-semana e a família foi extremamente bem recebida quer pelos voluntários, quer pela população em geral.

Juntamente com os voluntários que já teve oportunidade de conhecer, e que os vão acompanhar na aprendizagem da língua, a primeira família de refugiados da guerra da Síria que chegou a Portugal trazida por conta e risco de uma família portuguesa, “terá todas as condições para recomeçar a sua vida, agora em Portugal, um país em paz e de paz”, diz Nuno.

Ele diz-se feliz por poder cumprir com tudo com que se comprometeu com o Ali e a Nada na estação de comboios de Viena de Áustria. “Viajamos em segurança, e uma vez em Portugal o processo de legalização decorreu com a máxima celeridade. Foi-lhes atribuída licença de residência, ganharam amigos e uma nova família, iniciaram a aprendizagem da nossa língua dos nossos hábitos e costumes e estão agora preparados para integrar social e profissionalmente a sociedade portuguesa como quaisquer outros cidadãos estrangeiros que residam em Portugal, e com os quais todos nós só temos a ganhar pela partilha de experiências, vivências e sensibilidades”.

E em jeito de balanço, diz: “Valeu a pena! Vai valer ainda mais a pena à medida que a Dymas, a Inas e a Rhymas cresçam saudáveis e felizes entre os nossos filhos”.

Nuno Félix agradece a “todos aqueles que se juntaram a nós nesta missão e que deram provas de determinação, generosidade e resiliência e que são igualmente a garantia de que nada faltará a esta familia que já passou por tanto”. “Mas não há gratidão maior do que aquela que sinto pelo ALi Mustafa ALkhamis e pela Nada, por terem confiado as suas vidas nas minhas mãos em todos os momentos, e desde a hora em que entraram no carro para Portugal”.

“Obrigado por tudo o que me deram até hoje, e obrigado por tudo o que trouxeram à minha familia. Quando parti não sabia quem traria comigo. Aconteceu que trouxe uma ‘família como a minha’!”

Nesta página de Facebook é também anunciado que no dia 16 de novembro partirá uma nova caravana humanitária.
Foto: Luís Filipe Silva

Artigos relacionados

Deixe uma resposta