LocalSlider

Festa da Criança deu vida ao Mercado do Furadouro

As associações de pais do Agrupamento de Escolas de Ovar (AEO) congratulam-se pelo sucesso de mais uma Festa da Criança, realizada no dia 7, e agradecem publicamente a colaboração de todas as pessoas, entidades, associações e instituições que participaram na iniciativa preparada para as nossas crianças.

A apresentação esteve a cargo de Arlete Leite e o programa teve início com uma aula de hip-hop muito concorrida, seguida de uma sessão de zumba, em que também participaram muitos pais.
Após o almoço, a Escola de Vela da NADO (secção Náutica da Associação Desportiva Ovarense) convidou as crianças a conhecer as artes de manobra de uma embarcação de competição – Optimist, e a Escola de Ciclismo de Ovar abriu a pista para as habilidades dos mais novos, nas provas de perícia e gincana, a que se seguiu a Companhia Vareira, com a sua formação infantil e juvenil CV Kids.

A tarde de animação prosseguiu, ao ritmo do Grupo Recreativo e Escola de Samba Charanguinha (com músicos e bailarinas). E antes da atuação da Companhia de Teatro e Marionetas BGama, já os elementos destacados dos Bombeiros Voluntários de Ovar orientavam as crianças na parede de escalada, testando a destreza dos miúdos mais arrojados.

As associações de pais colocaram insufláveis, balões e pinturas faciais à disposição das crianças, para além de uma banca do escritor de livros infantis Carlos Nuno Granja, que enalteceu o esforço dos pais na mobilização da comunidade em torno da promoção da educação literária junto dos mais novos.
A tarde de variedades terminou ao ritmo carnavalesco da Escola de Samba Costa de Prata, que manteve a numerosa assistência entusiasmada até ao final deste dia de franco e são convívio entre adultos e crianças da comunidade vareira.

Esta iniciativa envolveu várias associações de pais e contou com a presença do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Ovar (CMO), Domingos Silva, que manifestou apreço pela iniciativa, dizendo que a mesma «transporta aquilo que nós queremos que seja a vivência da escola». Sublinhando o facto de não ser uma atividade diretamente organizada pela Edilidade, disse ser «muito reconfortante a CMO poder olhar para este movimento dos pais na escola e tal só confirma a atitude de apoiar e de criar condições para se viver a escola de outra forma. É um dia de comunhão e de autêntica família, que é responsável pela educação dos seus filhos. Portanto, uma saudação especial aos pais que promoveram este encontro entre gerações, onde o ambiente é propício a que os filhos sintam que os seus pais estão com eles na escola».

A União das Freguesias de Ovar, S. João, Arada e S. Vicente de Pereira esteve representada pelo seu Presidente, Bruno Oliveira, que louvou a iniciativa e disse estar sempre disponível para colaborar na criação de ocasiões de convívio como aquele a que assistiu.
Referiu que as crianças são a grande prioridade educativa pois nelas está «o nosso futuro, em que precisamos de trabalhar, para que, um dia, sejam elas a cuidar de nós.» Acentuando o esforço da União de Freguesias, disse que a instituição que dirige «tem vindo a colaborar com os agrupamentos escolares e com as associações de pais noutras iniciativas que dignificam a nossa população e são uma mais-valia para toda a nossa comunidade escolar».

Instada a pronunciar-se acerca do grau de envolvimento dos pais nas atividades dinamizadas em prol das crianças, a Diretora do Agrupamento de Escolas de Ovar, Maria Cecília Oliveira, mencionou alguns constrangimentos que as escolas nem sempre conseguem ultrapassar, pois «cada vez mais a escola se depara com concorrências, para as quais não tem recursos.» Para os superar, é preciso atenuar «o efeito dessas concorrências, se houver uma interligação muito grande com as famílias e encarregados de educação.» E a propósito da participação dos pais nas atividades escolares, Maria Cecília Oliveira adiantou que «as expectativas da Direção deste Agrupamento têm sido muito positivas e todas as associações de pais têm vindo a desenvolver um bom trabalho, de que destaco a participação no processo de avaliação externa».

A finalizar o seu comentário, disse: «Este trabalho cooperativo tem sido muito gratificante, pelas relações de proximidade criadas. Às vezes, o tempo foge-nos, mas ainda temos muito a partilhar. Com boa vontade, tudo se consegue» – rematou.

Hélder Ramos

Artigos relacionados

Deixe uma resposta