LocalSlider

Furadouro vive dias de aflição

O oceano voltou a galgar os muros de protecção e a invadir as ruas do Furadouro, obrigando ao corte do trânsito pela Protecção Civil e a medidas preventivas por parte da população.

Como se previa, a forte agitação registada nas últimas 48 horas transformou as ruas em rios de água salgada, arrastou pedras e areia, causou estragos no mobiliário urbano e levou os comerciantes a tomarem medidas para proteger os estabelecimentos da avenida marginal.

Apesar da população estar habituada a ver as águas do mar galgarem as defesas e inundarem ruas e avenidas, estes são momentos que tiram o sono a quem vive e tem os seus haveres perto da praia.

No restaurante e café Amadeu ergueram-se barreiras de madeira para impedir a invasão das ondas revoltas. “O mar aqui não provocou estragos de maior, porque nos defendemos, mas são noites mal difíceis”, explicou uma funcionária que ainda tem na memória outras investidas do mar que derrubaram parte do café, partiram vidros e arrastaram a esplanada. O restaurante Mr.Pizza também costuma a fechar e a “selar” portas e janelas, mas desta vez ainda não chegou a tanto. O bar do Albano continua a resistir apesar de fortemente afectado.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou ontem a costa aveirense sob alerta laranja (até às 21 horas), por causa da previsão de ondas de noroeste com 5 a 6 metros, podendo atingir pontualmente 8 a 10 metros. A situação deverá passar gradualmente a aviso amarelo até às 18 horas de hoje, mas a população do Furadouro diz que o mar vai voltar a crescer muito no próximo fim-de-semana.

Créditos da Foto: Mário Jorge Cunha

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta