Quinta-feira , 21 Junho 2018
Ler também:
Marcha da Madragoa outra vez em terceiro

Marcha da Madragoa outra vez em terceiro

A marcha de Alfama venceu novamente as Marchas Populares de Lisboa, anunciou esta terça-feira a Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC), responsável pela organização da iniciativa.
Tal como no ano passado, o segundo lugar foi atribuído à marcha do Bairro Alto e o terceiro à marcha da Madragoa. A Madragoa, que estará em Ovar, no próximo sábado, dia 23, arrecadou ainda os prémios Letra e Desfile na Avenida da Liberdade.

Este ano, as Marchas Populares de Lisboa celebravam os 120 anos do nascimento do actor lisboeta Vasco Santana (1898-1958).

Tema: Quando o Sol Beija a Lua, Madragoa Sai à Rua
Madrinha: Teresa Guilherme
Padrinho: Pedro Barroso
Classificação 2017: 3.º lugar (Melhor Coreografia)

«Desde a origem dos tempos, o Homem desenvolveu um enorme fascínio pelo eclipse. Em todas a culturas conhecidas existem lendas e mitos relacionados a este acontecimento. A partir deste tema, a Marcha da Madragoa apresenta, em 2018, uma alegoria sobre o eclipse, traçando um paralelo entre o “encontro” de dois astros, o Sol e a Lua, com o encontro de duas pessoas que se amam, a Varina e o Pescador. A Varina, enamorada do Pescador, apregoa o seu peixe durante o dia e, na ausência do seu amado, tem como único conforto o Sol, que lhe aquece a pele e lhe ilumina a tristeza. O Pescador, que sai para a faina durante a noite, encontra na Lua a luz que lhe lembra a sua amada e que o ajuda a enfrentar as adversidades da sua labuta. Parece, assim, que os dois “vivem afastados e destinados a não se cruzar”. Mas tudo muda, de tempos a tempos, com encontros esporádicos, em que este amor é fortalecido em dias de festa. Não existe acontecimento mais mágico que o encontro de duas almas que se amam e é na noite de Santo António que poderemos presenciar este eclipse e ver o amor evoluir. No decorrer da Marcha da Madragoa 2018, seja em coreografia ou cenografia, está indicado o crescimento deste amor. Com elementos cenográficos, figurinos e letras, todos pensados ao pormenor, carregados de simbologia e quase mágicos. “E finalmente, feliz contente, a nossa gente, sai à rua”.»

Classificações finais das Marchas Populares de Lisboa 2018:

1.º Alfama (245 pontos)
2.º Bairro Alto (235 pontos)
3.º Madragoa (234 pontos)

(Fotos: Câmara Municipal de Lisboa)

Deixe uma resposta