Cultura

“Estamos a criar uma marca e um produto” – Miguel Silva

Poucos dias depois de mais uma edição da Feira de Artesanato e Gastronomia de Maceda – a 15.ª, coroada de êxito, o presidente da Junta de Freguesia, Miguel Silva, anunciou o apoio governamental para a criação de um Mercado Eco-Circular.

“Temos cada vez mais gente a vir ver-nos e mais artesãos interessados em expor”, afiança o autarca macedense. “Este ano, vieram artistas de Braga, Maia e Castelo Branco, por exemplo, e outros ficaram de fora”, acrescenta.

Até onde pode ir o certame? “Já não pode crescer muito mais”, diz Miguel Silva. “Tivemos sempre muita gente e as ruas repletas de carros nos três dias do certame e nem havia o Tony Carreira no programa”. “Julgo que estamos a criar uma marca e um produto”, sustenta.

A decoração da feira deu nas vistas e o autarca explica que a cobertura dos guarda-chuvas “é atraente e chama muito a atenção, com a dupla função de alertar para a restante decoração feita de materiais reciclados”.

Poucos dias depois, era anunciado a selecção do Mercado Eco-Circular de Maceda para o apoio do Ministério do Ambiente. “Diria que é um projecto fora de caixa”, assinala. Embora preferisse “que me fizessem a ligação à Zona Industrial de Ovar ou ao Restabelecimento 25. Isso sim, mas o PDM não deixa e não se pode fazer tudo ao mesmo tempo”.

O projecto está em marcha com o envolvimento da comunidade e Miguel Silva conta ter o mercado pronto na abertura de mais uma edição do “Maceda-Vila-Presépio”.

 

Artigos relacionados

Deixe uma resposta